17 outubro, 2015

Que aniversário? Muitos! E até o do nó da minha gravata foi festejado


Aconteceu o repasto numa adega. As pipas do bom vinho alinhavam-se em alas e no corredor central as mesas. A acústica, perfeita, permitia que os convidados pudessem elevar a voz sem que o alarido lhes magoasse o ouvido. Comentava eu, para um grupo, que tinha gostado do discurso de abertura da conferência, pelo vice-presidente da Câmara. Que sim. Que tinha apreciado que tivesse deixado a sugestão de, na próxima conferência, a organização considerasse o tema do empreendedorismo público e, neste, o papel do Poder Local. Que se tratasse e discutisse a marca "Carcavelos". Que fosse este considerado como "um caso". O grupo pegou-me no assunto e foi discorrendo, que sim, que era um bom exemplo, e que, este ano não só a colheita tinha sido em quantidade como era generosa a qualidade. "Há sempre um equilíbrio entre uma coisa e outra. E pretender criar escala para responder à procura é um risco que a Câmara não poderá correr". Admirou-se a anfitrião do evento festivo que fosse um comunista a dizer isso. 
A resposta saiu-me pronta" "Fique a saber, que nós comunistas nunca deixaremos de surpreender..." 
___________

Este texto é uma pequena crónica de um evento em que, de uma só penada, muita coisa foi festejada: O 2º aniversário da União das Freguesias, a 5ª Conferência Ibérica do Empreendedorismo e o 5º ano de existência do nó da gravata que há muito não usava. 
Festejei tudo isso!