18 abril, 2016

Brasil: "Hoje, sou um parceiro da vossa tristeza"



Para entender basta ver (sem deixar de considerar o pior)

15 comentários:

Diana Fonseca disse...

Dois!

pvnam disse...

A DEMOCRACIA É UMA FORMA de dotar o contribuinte/consumidor de algum poder negocial...mas, todavia, no entanto... esse poder negocial deverá ser aprofundado (ver Exemplo 1, e Exemplo 2).
.
.
De facto, apontar 'isto ou aquilo' é insuficiente... há que combater os parolizadores de contribuintes... isto é, ou seja, há que reivindicar/criar:
- MAIS CAPACIDADE NEGOCIAL PARA OS CONTRIBUINTES/CONSUMIDORES!
.
Ora, de facto, o contribuinte não pode ir atrás da conversa dos parolizadores de contribuintes - estes, ao mesmo tempo que se armam em 'arautos/milagreiros' em economia (etc) - por outro lado, procuram retirar capacidade negocial ao contribuinte [isto é, querem que os contribuintes passem carta branca aos políticos... para que estes possam fazer as mais variadas negociatas com os mais variados lobbys].
---» EXPLICANDO MELHOR: um político não se pode limitar a apresentar propostas (promessas) eleitorais... tem também de referir que possui a capacidade de apresentar as suas mais variadas ideias de governação em condições aonde o contribuinte/consumidor esteja dotado de um elevado poder negocial!
.
.
.
EXEMPLO 1:
O CONTRIBUINTE TEM QUE SE DAR AO TRABALHO!!!
-» Leia-se: o contribuinte tem de ajudar no combate aos lobbys que se consideram os donos da democracia!
---»»» Democracia Semi-Directa «««---
-» Isto é, votar em políticos não é (não pode ser) passar um cheque em branco... isto é, ou seja, os políticos e os lobbys pró-despesa/endividamento poderão discutir à vontade a utilização de dinheiros públicos... só que depois... a ‘coisa’ terá que passar pelo crivo de quem paga (vulgo contribuinte).
-» Explicando melhor, em vez de ficar à espera que apareça um político/governo 'resolve tudo e mais alguma coisa'... o contribuinte deve, isso sim, é reivindicar que os políticos apresentem as suas mais variadas ideias de governação caso a caso, situação a situação, (e respectivas consequências)... de forma a que... possa existir o DIREITO AO VETO de quem paga!
[ver blog « http://fimcidadaniainfantil.blogspot.pt/ »]
.
.
EXEMPLO 2:
CONCORRÊNCIA A SÉRIO!!!
Não há necessidade do Estado possuir negócios do tipo cafés (etc), porque é fácil a um privado quebrar uma cartelização... agora, em produtos de primeira necessidade (sectores estratégicos) - que implicam um investimento inicial de muitos milhões - só a concorrência de empresas públicas é que permitirá COMBATER EFICAZMENTE A CARTELIZAÇÃO privada.
[ver blog « http://concorrenciaaserio.blogspot.pt/ »]

Elvira Carvalho disse...

Três.
Abraço

Ana Tapadas disse...

Vivemos tempos difíceis e, por vezes, a História repete-se.

Bjs

Ana Tapadas disse...

(No séc. V AC...alguns votavam e...por cá?)

O Puma disse...

A golpada vai ter um preço

Rogério G.V. Pereira disse...

Dois?

Muitos milhões!!!

Rogério G.V. Pereira disse...

Para a próxima, este seu prolongado texto publicitário
deverá ocupar no meu lado, menos espaço.

É um pedido, meu amigo

Rogério G.V. Pereira disse...

São tantos, tantos milhões

Rogério G.V. Pereira disse...

...sob a forma de farsa... tantas!

Rogério G.V. Pereira disse...

Por cá pouco se sabe... presumo que se estaria numa fase de democracia tribal em que as decisões seriam tomadas por consenso com a vigilante dos mais velhos. É uma boa questão!

Rogério G.V. Pereira disse...

...mas a luta continua!
Vale que se faça um passo atrás!

Malu Machado disse...

Estou chocada, triste e com medo do que está por vir. Obrigada pela solidariedade.

São disse...

Fiquei assustada e decepcionada com o que vi e ouvi na votação.

Deus nos valha e que ajude o Brasil!

Suzete Brainer disse...

Olá Rogério,

Grata pelo seu gesto solidário!!

Nós Brasileiros conscientes estamos quebrados por dentro depois
desta situação esdrúxula, ferindo os direitos democráticos numa
explícita manipulação vergonhosa.
Mas, a voz e os passos do Povo nas ruas e avenidas de todo o País
clamando pela Democracia e a legitimidade da nossa Presidenta,
não pode morrer assim...

Contente de encontrar o seu espaço e voltarei sempre...

Abraço.