11 abril, 2016

"O último ano do Tua", que talvez não seja...

Os deputados do PCP vão amanhã andar por aqui...

Disse o que disse sobre os jornais, e nem uma notícia como esta contraria numa só linha o texto anterior. É que a promoção da imagem (e só da imagem) do pluralismo obriga a que, de quando em quando, passe uma notícia. Refiro-me às jornadas do Grupo Parlamentar do PCP anunciadas, hoje, no Público. Ao ler onde os deputados vão estar, ocorreu-me um post do "Sustentabilidade é acção" e uma promessa minha, por lá deixada.
Com este excelente trabalho, promessa paga!
Esperemos agora o resultado do trabalho dos deputados...

8 comentários:

Anónimo disse...

Faz muito, muito tempo que assinei a primeira petição contra a barragem.
Aguardo, como tu, o resultado do trabalho dos deputados, bem como o dia em que dinheiro de poucos deixe de "mandar" no ganha-pão e nas vidas de muitos.

"Quando o dinheiro manda, manda, não somos nós. Nós temos sentimentos. Eles querem lá saber dos sentimentos...", diz um dos homens que deixarão de poder cultivar um solo que é seu. Faço eco com ele. "Porquê?"

Maria João

Luis Coelho disse...

Dói ver este documentário. Dói porque desde o início que o povo diz não e todo o país pede que se proteja todo aquele rio, a sua história e a sua beleza. O dinheiro manda e manda cada vez mais destrói tudo e todos e suja as mãos de sangue e do verde da nossa terra.
Espero que não seja o último ano do Rio Tua.

Elvira Carvalho disse...

Quem dera, a construção da barragem pudesse ser travada. É uma tristeza a destruição da zona. Ainda se compensasse, vá que não vá. Mas segundo o vídeo a contribuição em energia está muito longe de poder de alguma forma compensar o estrago ambiental.
Abraço

O Puma disse...

É urgente despoluir também o Tua

Fê blue bird disse...

Custa muito ver tanta beleza e tanta vida ser destruída, espero que essa luta tenha um final feliz.

Um beijinho

Lídia Borges disse...

Bem, isto tocou fundo, cá dentro.
Compra-se tudo mesmo que os "de direito" não queiram vender. Não se vende a "alma".

Tomara que mais atenção fosse dada a estas pessoas, a estas terras tão profundamente "nossas".


Obrigada!

Rogerio G. V. Pereira disse...

Venho comentar os vosso comentários com uma chamada de atenção para o post seguinte.

Abraço a todos

Manuela Araújo disse...

Olá Rogério, obrigada por abordar o tema e pelo "link. Até já