23 abril, 2016

Coisas com pés (e cabeça)

Tendo conhecimento da expressão "sem pés nem cabeça" sabia que o que faz sentido nos sai do juízo. Acaba de ser provado que fará também sentido pensar com os pés... aliás, tal prática está muito mais generalizada do que à partida poderia parecer! 
Outro uso generalizado é dar com eles em coisa de que não gostamos ou nos é adversa. Nem sempre usado a cabeça. Exemplo? Victor Constâncio, vice do BCE, deu com os pés à Comissão de Inquérito sobre o BANIF. Talvez seja a altura de usarmos a cabeça e sermos nós a dar com os pés a quem, ingerindo, assume a arrogância de colonialista...
Fico-me por aqui, antes que me acusem de falar pelos cotovelos