05 março, 2017

Um dia de trabalho... que passou pela visita a um projecto que trago "debaixo d´olho"


Hoje, o jornal "Tornado" publicou colaboração minha. Sob o titulo "Oeiras longe de ser uma ilha de bem-estar" deu parte, a porventura mais dramática e surrealista, da visita. A visita reuniu um grupo de eleitos, activistas e simpatizantes da CDU, que percorreram cinco das dez freguesias do Município de Oeiras. Foi um dia inteiro, a percorrer Algés, Cruz Quebrada, Linda-a-Velha, Queijas e Carnaxide. O objectivo visou conhecer situações, para depois reflectirmos sobre elas e, na altura certa, elaborar os Programas Eleitorais... 
Nenhum compromisso será assumido por decisões tomadas fora de um colectivo em que cada um não saiba, exactamente, do que fala.

No inicio da manhã, levados ali para conhecer uma aberração urbanística, exemplo do que um arquitecto jamais deverá repetir e uma autarquia nunca mais deverá poder licenciar - a rua Margarida Palla é uma floresta de blocos de 10 andares, pejada de acessos sinuosos de múltiplos lances de escadas, degraus e outros obstáculos que tornam dolorosa a mobilidade - "encontrámos", no percurso, o CAFÉ MEMÓRIA.  

Ando com este "CAFÉ" metido, há muito, na cabeça. Já lá tinha ido antes com a minha Teresa, para perceber se podia ser replicado. E pode. Vontade não falta e a necessidade é muita...