06 abril, 2014

Hoje não houve conversas na esplanada...


Há quem acorde feliz por acordar e, no resto do dia, vai passando ao lado da vida. Há quem acorde com a tristeza da quase certeza de que vai perecer, e no resto do dia esquece medos e males e abraça a vida. Contudo, a conversa com o médico é clara e, por entre os termos clínicos quase indecifráveis, foram ditas palavras que não pudemos evitar que tivessem sido ditas. Alheia a isso, quando entro no quarto esboça um sorriso e faz-me um aceno. Aceno que não é uma despedida, é de satisfação pela chegada... Está melhor esta rosa, envelhecida, que se agarra à vida!