21 julho, 2012

Seraiva? Saraiva? Como é que o homem se chamava?


A ler! A não perder...

11 comentários:

Maria João Brito de Sousa disse...

Mas como eu gostei deste post, Alma!

as-nunes disse...

Boa memória, sim senhor.

E é bom avivar certas memórias.
Até para que não se cometam ciclicamente os mesmos erros.
A ver vamos!...

O Puma disse...

Na verdade

este apontamento
devia avivar memórias
em todas as tvs

Os Cavacos e os Coelhos
tentam apagar a história
dos predares da democracia
e condecoram-se uns aos outros
até nos levantarmos do chão

Abraço amigo

manuela baptista disse...

Saraiva,

e dizia que Oliveira Salazar era anti-fascista

a História dele é diferente da nossa

um abraço, Rogério

heretico disse...

para que não apaguem a memória, nem reescrevam a História.

abraço

maceta disse...

somos o que somos quando estamos vivos, pelo que fazemos de bom e de mau...não vale escamotear para parecer bem...

Fernando Ribeiro disse...

Eu sou um dos muitos antigos estudantes que anonimamente participaram na greve académica de 1969, em Coimbra. Não tenho saudades desse tempo, mas talvez eu devesse "agradecer" a José Hermano Saraiva o facto de me ter proporcionado a oportunidade de criar uma consciência política (ainda muito incipiente, é certo), através da minha participação na luta estudantil. Cheguei a passar pelos calabouços da Penitenciária de Coimbra (junto aos Arcos do Jardim) por ter cometido o "crime" de distribuir comunicados da Associação Académica à população da cidade, na Av. Sá da Bandeira. Assim era o regime "antifascista"(!!!) de Salazar, que este figurão defendeu.

P.S. -- Soube agora mesmo que morreu Helena Cidade Moura. Esta, sim, merece que a choremos!

BRANCAMAR disse...

Pois Rogério, foi realmente uma das primeiras coisas de que me lembrei hoje, foi da luta estudantil de 1969 e de como Veiga Simão se seguiu a José Hermano Saraiva. Lembrei-me também de um programa televisivo de há muito poucos anos em que Hermano Saraiva esteve com o cantor João Gil e este corajosamente o rebateu em público e frente às Câmaras televisivas pela defesa que o Historiador estava a fazer de alguns aspectos do Salazarismo.

Enfim, temos que ter boa memória e dá-la a conhecer.

Beijos
Branca

Rosa dos Ventos disse...

Ouvi-lo dizer na TV num programa evocativo que Salazar foi um ditador santo foi algo que me incomodou, entre outros aspectos!


Abraço

Turista disse...

Amigo Rogério, a memória do povo é efectivamente muito curta!!
Que se lamente a perda de uma vida, é do bom senso, de qualquer mortal.
Agora que se endeuse ou se dê tanto mérito a quem não o merece, já me parece excessivo!
Cá estamos nós, para o relembrar, felizmente. Pelo menos por enquanto!
Beijinhos.

Lídia Borges disse...

Dançar de acordo com a música é arte.
Ele sabia a história toda. A frente e o verso.

Lídia