10 junho, 2013

Agora? Agora faço horas extraordinárias...

Quando fiz 65 anos, lembrei quando fiz 30. Até aqui, nada de novo pois temos todos a mesma tendência de evitar lembrar o futuro. Mas aconteceu, que nesse dia, antes do sopro das velas, das prendas e dos beijos, entregaria na repartição de finanças, do meu Bairro Fiscal, a "declaração de fim de actividade". Nesse mesmo dia metia outra  declaração: a de passar a lutar a tempo inteiro, sem qualquer remuneração. 
Pois, anos passados, chegou a altura de passar a fazer horas extraordinárias... tem de ser. 
Os amigos? Ah, terão a compreensão que os amigos costumam ter... 

Este post responde a uma amiga muito querida que estranha o meu desaparecimento...