02 junho, 2012

A Dª Esmeralda e a vizinha do 4º andar, a conversar (10)...


A vizinha do 4º andar, vê a luz ao fundo do túnel...

Vizinha do 4º andar - Sabe?, Dª Esmeralda, o meu Otário anda encantado. O patrão dele passou a falar que o amor é um sentimento necessário à competitividade e às relações laborais. E que se for despedido isso será sempre um acto de amor... 

Dª Esmeralda (surpreendida) - Não me diga!

Vizinha do 4º andar (olhando religiosamente para o ar) - Assim, já podemos ver... como se diz?... a tal "luz ao fundo do túnel"...

Dª Esmeralda (cada vez mais espantada) - Como, assim?

Vizinha do 4º andar (como se estivesse a pensar) - A pouco e pouco uma onda de solidariedade se espalha. Deus nos valha... (e voltando-se para a Dª Esmeralda) Sabe que o Banco Espírito Santo fez um acordo com a Cáritas, para ajudar os mais azarados, desfavorecidos e marginalizados? 

Dª Esmeralda (admirada) - Não, não sabia não!

Vizinha do 4º andar - Pois é!... não sabia... E por acaso sabe que agora, se o diabo bater à nossa porta, até podemos ir passar a ter um take away, das refeições servidas ali do restaurante do sr. Malaquias, quando ele não der vazão à alimentação, com os clientes que lá vão? Os cantores cantam um hino a isso, do desperdicio... Ah, o sr Presidente da Republica, também se meteu nisso... 

Dª Esmeralda (pasmada) - O Cavaco?

Vizinha do 4º andar - Sim, e a coisa não acaba aqui. Por certo também ignora que o movimento do Banco Alimentar, recolheu alimentação que mata a fome a gente que até mais não... que já mobiliza quase 40 000 voluntários e que se vai internacional e terá de admitir mais gente para se profissionalizar... talvez o meu Otário tenha lá lugar...

Rogérito (gritando da sua janela) - O governo já pode dar cabo do Estado Social e fundar o Estado do Amor e Caridade... o povo passa a ser uma irmandade...

(O Rogérito até acha que o que disse é uma laracha e que há...


quem, dentro da igreja, não se desvia da luta necessária... )