12 junho, 2012

Santo António, à desgarrada: Leve um meu manjerico. Eu, com as quadras fico


A desgarrada mais bela que me foi dada 


 O MEU DESAFIO

Ora dá cá uma quadra
Que eu te dou um manjerico
Terás tua alma perfumada
E eu ficarei bem mais rico
Cá do Je
A DESGARRADA 
E eu ficarei bem mais rica
E melhor acompanhada
Seremos dois passarinhos
Em conversa adocicada
Da Fê Blue-bird

Uma quadra lhe vou dar
Gostava que a achasse bonita
Seu manjerico me perfuma
Fique com o perfume da Janita.
Da Janita

Ao Rogério deixo uma quadra
e vou levar um manjerico
não levo mais nada
mas deixo um beijito!
Da Manuela

Os líricos, ai os líricos
Não quero amor imenso
Não quero imensa paixão
Quero apenas um manjericão!
Da ematejoca

Meu amigo Rogério
Quero dois manjericos
Do seu lindo e vasto império
Sem imaginar namoricos.
Da Catarina

Uma quadra é muito pouco
Para um poeta tão querido
Mas se o pedido são quatro versos
Deixo-os e levo o manjerico.
Da Gisa

Era uma vez um santinho
Que gostava de pregar.
Não lhe deram cavaquinho…
Contra a maré, foi remar.
Do Rui Pascoal

Santo António sem saber 
era muito pobrezinho
Desde sempre ouviu pedir
Para si um tostãozinho

Sem nunca ver o fruto
De peditório tão antigo
Santo António está de luto
e a bem dizer... Perdido!
Da Lídia Borges (2)

Uma quadra enquadrada
num espaço que é janela
por feia e mal engendrada
acaba por ficar bela
Da Manuela Araújo

O manjerico levo, então
Vou daqui mais perfumada
A caminho do S. João
E de mais uma noitada
Da Filoxera

A minha negação para rimas
Abstém-me de participar
Desculpa lá Rogérito
Os manjericos não levar
Da Tite

Rogerito, meu amigo,
Até me pões a rimar!
Cheguei tarde e já tenho
Manjerico p'ra levar...
Da Carol
... E VENHA DE LÁ MAIS UMA QUADRA,
AGORA COM OUTRO  MOTE

Cantigas de portugueses
São como barcos no mar —
Vão de uma alma para outra
Com riscos de naufragar.
___________________________________________________________________Fernando Pessoa

41 comentários:

rosa-branca disse...

Santo António padroeiro
De quem em ti acredita
Dás tudo menos dinheiro
Andas teso e sem guita.

Se me dás um manjerico
Ai Rogério te vou dar
O cravo, o mais bonito
Que no arraial encontrar

Se dois me deres então
Aí é que eu te vou dar
Na noite de S. João
A sardinhada a dobrar.


Beijos com carinho e um óptimo Santo António.

AC disse...

Fui dançar pr'o Santo António
P'lo caminho comi sardinha
É no sentir popular
Que a vida se faz rainha.

Turista disse...

Este ano o Rogério
Não nos dá um manjerico
Qual será então o prémio
se lhe deixar o tal beijito?

Um bom Santo António, meu amigo. :)

Catarina disse...

Como poderia esquecer um dos meus raros momentos de expressão poética!

Janita disse...

Vou pegar no mote! :))

Com riscos de naufragar
Remando contra a maré
Somos bons a navegar
Desde a proa até à ré.

Bom Santo António, Rogério. :)

maiuka disse...

Também pego no mote:


As cantigas dos portugueses
São como os barcos navegando
Naufragaram já mil vezes
E vão sofrendo cantando


Bom arraial, Rogério

rosa-branca disse...

Seguindo a Janita...

Desde a proa até à ré
P'ra viajar pelo mundo
Pois este ano a maré
Só nos dá barcos sem fundo.

Graça Sampaio disse...

Pegando no verso da maiuka:

Vamos sofrendo cantando
sem nunca baixar os braços,
peçamos ao nosso bom Santo
p'ra levar daqui o Passos...

Bom arraial, Rogerito!

Janita disse...

Aí vou Rosa-Branca...)


Só nos dá barcos sem fundo
Com riscos de naufragar
Cantigas de portugueses
São como barcos no mar.

Rogério, assim é batota...ou também vale?

:))

Fê-blue bird disse...

Pegando na Janita :)

São como barcos no mar
Mar português tão esquecido
Cabe a todos nós o salvar
E torná-lo Engrandecido

beijinhos

folha seca disse...

E pronto aqui estou eu
A responder ao desafio
para rimar só é preciso
Juntar o Manjerico e Lisboa
Ao seu lindo rio.

Como por aqui não é feriado
vou ter que cedo deitar
amanhã vou ler nas noticias
coisas em que vou acreditar

De certeza que vai lá estar o Costa
e alguem vai aproveitar a boleia
espero não haver assobios
apesar da populaça de mentiras
já estar mais que cheia.

É o que se arranja...

Sandra Subtil disse...

Por terras distantes andámos
Fomos reis e senhores.
Hoje pouco ou nada nos resta
Desse tempo de conquistadores.

Umas sardinhas no pão
e alguns rimas fazer,
eis a receita ideal
para esta sina esquecer .

Beijinho Rogério

Lídia Borges disse...

Cá vai:

Isto de ser português
Tem muito que se lhe diga
Ou de fome ou de fartura
A todos dói a barriga

Até os deuses do Olimpo
"Entre as brumas da memória"
Incrédulos fazem contas
Ao défice da "Glória"

Mas...

"Tristezas não pagam dívidas"
Não há que desanimar
Hoje, um copo e uma sardinha
E amanhã, Portugal a ganhar.

L.B.

Tite disse...

Se acenderem uma fogueira
Saltem-na com o namorico
queimem depois a alcachofra
e cheirem o manjerico.

Como vês...

Jeito não tenho p'rá rima
E isso já to tinha dito
Só Sto. António me anima
Tanto como tu Rogérito.

Festas Felizes e divertidas

Flor de Jasmim disse...

Pegando no verso da Tite:

Tanto como tu Rogérito
gosto de comer sardinha
e até de dar ao pézito
estou à rasca mas é da mãozinha.

Divirta-se.

Beijinho e uma flor

Manuela Araújo disse...

No risco de naufragar:
Santo António Casamenteiro!
No risco de não pensar:
São Rogério Vinagreiro!

Um abraço :)

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Em riscos de naufragar
Estou eu neste momento
Apenas consigo rimar
Coelho com Jumento

Janita disse...

Rimas Coelho com jumento
E rimas tu muito bem
Tão firme como um Rochedo
Lhes cantas como ninguém.

jrd disse...

Bem gostava de comentar
Mas não estou p'ra aí virado
Porque não sou popular
E a rimar sou "quadrado".

É o que se pode arranjar. Diverte-te.

Palavras Vagabundas disse...

Adorei as quadras,
mas não consigo as palavras enquadrar.
Deixo um abraço apertado ao amigo
que as quadras aprecia.
bjs
Jussara

Manuela Araújo disse...

Neste mar de incertezas
Nem os peixes vão escapar,
As cantigas portuguesas
Etéreas, vão flutuar.

Janita disse...

Pegando no jrd (salvo seja)


Mesmmo a rimar em "quadrado"
Valeu a pena tentar
Barco que fica no cais
Nunca chega a navegar.

:)

Gisa disse...

Cantigas de portugueses
Espalham mel pelo ar
Mas encantar "o português"
É que me faz delirar.

Um beijinho

Rogério Pereira disse...

Procurei desgarradas
Cantares de encantar
Só encontrei cantigas maradas
O povo perdeu seu cantar

O povo perdeu seu cantar
O povo perdeu o piu
Fartei-me de procurar
Cantigas ao desafio

Cantigas ao desafio
Com a alma posta à janela
Desgarrada, alguém a viu?
Alma do povo, que é dela?

Vale quem aqui deixou
Quadras bem rimadas
Quem os versos bem rimou
Sabe o peso das palavras

Sabe o peso das palavras
Sabe bem o sabor delas
Quadras bem rimadas
Postas nas nossas janelas

Postas nas nossas janelas
Como um regado manjerico
Boa noite meus senhores
Está na hora do namorico

:))

Malu Machado disse...

Foi em um 12 de junho
Que a Santo Antônio eu pedi
Para me deixar bem pertinho
De quem eu quero carinho

Já se passaram mil luas e o Santo não me atendeu
Chega de tanto cuidado
Com este Santo malvado

Termina aqui a tua supremacia!
Até cumprir a promessa
Meu Santo Antônio vai morar
De ponta à cabeca na bacia

E se isto não adiantar,
Vou mudar este Santo de altar.
Segue ele do Brasil para Portugal

E aí, Rogerito, Santo que quiser voltar para casa, só se for à pé.

Sonhadora disse...

Uma quadra singela vou deixar
Num simples pedacinho de papel
Um mangerico verdinho vou levar
Para perfumar a minha pele

Rogério...foi o que se arranjou

Um beijinho
Sonhadora

Fatima Valeria disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fatima Valeria disse...

Santo Antonio queridinho,
Vou te dar um presentinho,
Também para teu menino,
Se me trouxeres um amorzinho
Para morar neste meu coraçãozinho

outra

Paro sempre para pensar
Que coração é esse que prefere o mar,
Calmo, louco ou furioso,
para ele hei de me entregar.

Abraços, muito legal esta tua idia..valeu

Jorge Castro (OrCa) disse...

se cão que morde não ladra
se navegar é preciso
venha a quadra que se enquadra
entre a mordida e o riso

Santo António manjerico
dando passos de coelho
'inda vai ao bailarico
mas dói-lhe muito um joelho

e joelho ou cotovelo
partes de nós a dobrar
por mais parecê-lo que sê-lo
fazem falta ao navegar

se navegar é preciso
contra marés e correntes
fica então cá um aviso
navegue-se até c'os dentes

e Santo António fagueiro
há-de ajudar ao timão
irmanados mundo inteiro
desde o Pedro até ao João

novas rotas novos ventos
nova a festa e o arraial
e novos descobrimentos
p'ra se cumprir Portugal

a minha terra e a tua
e a dos santos populares
trazendo um poema à rua
dando à Vida novos ares

que navegar é preciso
mas aportar é urgente
que não falte ao povo o siso
quanto a fome sobra à gente

cá deixo votos então
com sangria e com sardinha:
venha outra navegação
que anime cada alminha

mas depressa asinha asinha
e em maré de conselhos
não dobremos mais a espinha
nem vivamos de joelhos

pois que também os Antónios
os Pedros e os Joões
é por dar uso aos neurónios
que são grandes folgazões.

Grande abraço, caro Rogério, e festas das boas! São estas as quadras (muitas!...) que os tempos me sugerem...

manuela baptista disse...

ups...

em dia de santo, depois dos Sete Mares

estou perfeitamente desenquadrada

fico sem mangerico, paciência


parabéns aos poetas!

manuela baptista disse...

digo, manjerico

Janita disse...

Alma do povo “Que é dela?”
Pergunta o Rogério, pasmado
Eu vejo-a aqui, palpitante
Neste cantar maravilhado.

Neste cantar maravilhado
Vejo manjericos às janelas
Eis aqui a alma do povo
Navegando em rimas tão belas.

Hoje aqui não é feriado
Mas trabalhar não me apetece
Já me cheira a sardinha, S.João
Ai Porto, carago! Tudo vibra e estremece…

:))

Filoxera disse...

Deixo quadras na Conversa
E tu ofereces-me um manjerico
Já nada mais me interessa
O meu dia ficou mais rico

Deixo a quadra anterior
Em jeito de recordação
Saio de sorriso maior
Com esta oferta na mão

O manjerico levo, então,
Vou daqui mais perfumada
A caminho do S. João
E de mais uma noitada.

ematejoca disse...

Ó meu rico Santo Antoninho!
Se Portugal perder esta noite
contra a Dinamarca em Lemberg
Levas no focinho!!!

. intemporal . disse...

.

.

Santo António casamenteiro
De Deus trazes-nos a união
Traz-nos também algum dinheiro
E já agora um mealheiro
Para que o futuro não seja em vão

.

.

. abraço .

.

.

Brown Eyes disse...

Excelente desgarrada. Beijinhos

Ana Martins disse...

Rogério, boa noite!
Pegando na sua última quadra:

"Está na hora do namorico"
Que Stº António abençoa
E já na janela o manjerico
Perfuma a nossa Lisboa.

Beijinho,
Ana Martins

Anónimo disse...

Neste país de todos- os - Santos
Dança um Povo que por mais pobre
Pretende esconder os seus prantos
Seus anseios mais justos e nobres.

Beijinho

Anónimo disse...

Perfuma nossa bela Lisboa
Capital da pátria amada
O manjerico perfumado
Neste país depauperado.


+ 1

Barbara disse...

Cá onde o manjerico é manjericão
E cujo dono é São João
No Sto Antônio fui ouvir sermão
Igreja missa e em meu coração
A alegria de manter tradição
De festejos vindos do seu rincão
Rogério - depois da missa sua amiga
Foi à quermesse forrar a barriga
Com baiana comida
Sem culpa pela gula ou pela pimenta
Porque um contentamento a gente tenta!

Maria João Brito de Sousa disse...

Eheheheheh... mas estas quadras não li... senão agora ;)