03 junho, 2012

Homilias dominicais (citando Saramago) - 86


"A caridade é o que resta quando não há bondade nem justiça."

Quando, no fim de semana passada, devolvi o saco a uma jovem, ela me sorrio agradecida e me disse - "Obrigada, santo senhor". Aquelas palavras só não foram inesperadas porque não esperava palavra alguma, bastava-me o sorriso. Senti aquele agradecimento como uma censura, ao me acudir à mente dizeres de Dom Hélder Câmara - "Quando dou comida aos pobres chamam-me santo. Quando pergunto por que eles são pobres chamam-me comunista." - E se toda aquela gente se empenhasse em questionar a razão das coisas? e os apelidados de santos procurassem a resposta?

 HOMILIA DE HOJE
"Felizmente há palavras para tudo. Felizmente que existem algumas que não se esquecerão de recomendar que quem dá deve dar com as duas mãos para que em nenhuma delas fique o que a outras deveria pertencer. Assim como a bondade não tem por que se envergonhar de ser bondade, também a justiça não deverá esquecer-se de que é, acima de tudo, restituição, restituição de direitos. Todos eles, começando pelo direito elementar de viver dignamente. Se a mim me mandassem dispor por ordem de precedência a caridade, a justiça e a bondade, daria o primeiro lugar à bondade, o segundo à justiça e o terceiro à caridade. Porque a bondade, por si só, já dispensa a justiça e a caridade, porque a justiça justa já contém em si caridade suficiente. A caridade é o que resta quando não há bondade nem justiça.
José Saramago, em "Outros Cadernos"