07 julho, 2015

Antígona, a memória e o registo de um adeus!

Mariana Rey Monteiro e Maria Barroso no primeiro acto de Antígona
Nada se afasta da minha memória. Tenho-a presente: foi em 1965, a sala cheia e o palco também. Este preenchido, menos pelo seu pequeno corpo e mais pela força da voz. Presença imensa a contrastar com a humildade que transportava no trato. Nunca a tinha visto e sabemos que é muito difícil desfazer a imagem causada por uma primeira impressão. É essa que fica, para o resto da nossa vida. 
Adeus, Antígona.
imagem encontrada aqui