07 julho, 2015

Antígona, a memória e o registo de um adeus!

Mariana Rey Monteiro e Maria Barroso no primeiro acto de Antígona
Nada se afasta da minha memória. Tenho-a presente: foi em 1965, a sala cheia e o palco também. Este preenchido, menos pelo seu pequeno corpo e mais pela força da voz. Presença imensa a contrastar com a humildade que transportava no trato. Nunca a tinha visto e sabemos que é muito difícil desfazer a imagem causada por uma primeira impressão. É essa que fica, para o resto da nossa vida. 
Adeus, Antígona.
imagem encontrada aqui

6 comentários:

Mar Arável disse...

Belas

as tuas memórias

Nidja Andrade disse...

"Deixa-me sofrer o tremendo castigo de minha temeridade! Por muito que eu sofra, nunca serei privada de uma bela morte." Sófocles - (Antígona , I, 20)
E X C E L E N T E....!!!

Maria Eu disse...

Uma homenagem muito bonita, Rogério!

Boa noite. :)

Ana Tapadas disse...

Uma Mulher!

Beijo

Lídia Borges disse...


Admirável! E não só como actriz.



Bj.

Fê blue bird disse...

Uma homenagem com a força e a humildade de uma grande MULHER.

Um beijinho