31 julho, 2015

Mesa Redonda (6) - Tema: "... o que não muda..."


Eu (abrindo a sessão) - Hoje o tema é a "mudança". Vamos falar como mudar...
Meu Contrário (contrariado) - Preferia falar sobre o que não muda
Minha Alma (admirada) - E não é a mesma coisa?
Meu Contrário (sentencioso, entre o sério e o gozo) - Não, não é! Se percebermos bem o que não muda, estamos mais habilitados a perceber o que é necessário mudar...
Minha Alma (interessada) - Não percebo!, podes exemplificar?
Meu Contrário (persuasivo) - Se seguiste o alarido em torno do que se passou naquele partido... percebes que agora nada gira em torno do que há a fazer mas sim à volta de quem é melhor para o fazer?...
Minha Alma (completando a ideia) - ... e todos esquecem discutir o que deve ser feito...
Meu Contrário (afirmativo) - Isso mesmo. Tal como tem vindo sempre a acontecer... os militantes são confrontados com pessoas... porque são as pessoas que operam as mudanças, mas não discutem o que é necessário mudar...
Eu (que até aqui tinha ficado calado) - A melhor maneira de não mudar coisa nenhuma é ir mudando... pessoas. O resto vai ficando igual... mudará só o estilo e a intensidade desse fazer ...
Minha Alma (desanimada) - ...não poderemos esperar resultados diferentes... Então, só podemos esperar pessoas diferentes para fazerem coisas... iguais!
Eu e Meu Contrário (em coro) - Nem mais!
reeditado, com pequenos ajustamentos
 - original em 30 jan, 2013

3 comentários:

Maria Eu disse...

E eu faço coro: Nem mais!

Beijinhos, Rogério. :)

Lídia Borges disse...



A "Mudança" é um processo complexo. Não passa exclusivamente por definir os problemas e as estratégias para os resolver. É preciso mais, é preciso que os envolvidos queiram efetivamente mudar. Escolher livremente. E neste "livremente" se concentra toda a matéria de base à discussão.

Por vezes as ideias são "pescadinhas de rabo na boca" - a liberdade é o Conhecimento,mas esse é reservado a poucos, há o outro, o conhecimento manipulado que gera a mentira. A mentira que sustenta a ideia de liberdade de escolha. E essa, não mais que uma tremenda ilusão.

Bom domingo!

Agostinho disse...

Em cena até Outubro?
Não se podem discutir os problemas pois o povo não sabe grego nem latim. Fiquemos pela cor da gravata...