13 dezembro, 2017

Sorriam, é (quase) Natal

 
Sorriam, é (quase) Natal

Há sorrisos para todos os gostos
Há-os irónicos
Há-os trocistas, os sumptuosos
os envergonhados, os dos vaidosos
Há sorrisos alarves e há os tímidos
Há os sorrisos dos vencedores
e os sorrisos humildes dos vencidos
Há os sorrisos de desdém

E cada um mostra o sorriso que tem
O meu?
O meu é convicto, embora triste
E tu? O teu?, porque sorriste?
Rogerito

8 comentários:

Catarina disse...

Sorri apenas porque senti vontade de o fazer.

Anónimo disse...

O meu, Rogérito? O meu vai persistindo, mesmo desdentado, mas, tal como o abanar de uma cauda de cão, ou o ronronar de um gato, nunca surge "por conveniência", nem por imposição.

Feliz quase Natal, Rogérito! :)


Maria João

Ricardo- águialivre disse...

O sorriso é o espelho da alma. Saber entendê-lo é uma virtude doas atentos e dos sábios
.
Poema livre (conheça o meu blogue)
.
O GRITO DO SILÊNCIO DOS AFLITOS.
.
Que a luz do amor ilumine o seu coração
.

ematejoca disse...

Vou colocar um sorriso maroto no meu rosto 😉

Elvira Carvalho disse...

Hoje eu não tenho sorriso. Não há nenhum que aguenta a tremenda dor de cabeça que tenho.

Amanhã vou para Lagos. As histórias de Natal no Sexta continuarão a sair porque estão programadas.
Porque em Lagos só terei o Smartphone, e não sei andar pelos blogues nele, despeço-me desejando um Santo e feliz Natal, com saúde e muito amor.
Abraço

Janita disse...

Também podemos sorrir por entre lágrimas.
Podemos chorar no meio de sorrisos e
podemos levar sorrisos, sem lágrimas,
a crianças que não sabem o que é sorrir
nem receber um sorriso.

Sorri, para alegrar a criança que há em mim, Rogerito...

Diana Fonseca disse...

Se não sorrirmos, a vida é muito mais chata.

Lídia Borges disse...

Parece que o sorriso também se compra nas farmácias o que não sei é se cura.

Lídia