29 janeiro, 2018

Os Correios e de como as freguesias se empenham em que a entidade privada atinga os objectivos...

«Ponha aqui o seu pezinho
devagar devagarinho
se vai à Ribeira Grande
eu tenho uma carta escrita
para ti cara bonita
não tenho por quem a mande
»
O "Prós e Contras" foi para o ar sem que eu tenha chegado a tempo de lhe ouvir o enquadramento.
Imagino-me eu a fazê-lo. Se substituísse a Fátima, não deixaria de referir que os Correios são uma função que assegura a cidadania, para além da coesão territorial. Não deixaria de referir que os custos dos serviços públicos ninguém, que queira elevados dividendos, estará disposto a suportar. Não deixaria de dizer que a qualidade de serviço é uma chatice que já vem dos tempos do Cancioneiro Popular e dos da D. Maria I, e que foi por isso é que a Rainha sacou os serviços postais da alçada da atividade privada. Não deixaria de dizer que a ANAFRE, no seu congresso (que ontem terminou) bateu palmas à Rainha ao aprovar uma moção que ia no mesmo sentido...

Se fosse eu a abrir o debate, teria dito tudo isso.

E como nem sequer fui convidado nem tive a oportunidade de levar ali, o que já disse aqui e que agora sintetizo assim:
Os fregueses da minha freguesia suportam os custos de exploração do balcão, contribuem assim para os lucro dos privados, e, ainda por cima, permitirão à ANACOM confirmar que estão atingidos os objectivos da entidade privada, por não há quem se queixe de nada.
NOTA1: O Secretário de Estado, foi um dos votou não à reversão.
NOTA2: Não faço link ao Programa, pois vos tenho em elevada estima
Enviar um comentário