16 janeiro, 2018

Trump e a queda do império americano


Trump é tudo o que dele se diz e mais aquilo que é ocultado, ou pelo menos não se fala.
Não se fala no desespero de Trump. O mais certo, quando se lhe dá a imagem de louco, é que ele de facto estará desorientado, terá percebido que os EUA não terão saída. Ele e não só.

Quem me lê sabe que não sou dado a outros devaneios que não seja brincar com as palavras, sem beliscar a verdade, a qual me limito a avinagrar. Também sou avesso a fantasmas ou a teorias da conspiração. A noticia que vos trago não é devaneio, não é algo do outro mundo e nem é teoria.
Eis a noticia:
A partir de 18 de janeiro, a Bolsa de Xangai negociará petróleo em iuan atrelado (com paridade) ao ouro. Trata-se de um passo geopolítico importante, pois ameaça o petrodólar, um dos fatores do poderio norte-americano.
A seu favor, a China conta com o fato de ser o maior importador de petróleo bruto do mundo, com o apoio da Rússia e com a possibilidade de o comprador converter o petro-iuan em ouro – chineses e russos estão entre os dez maiores produtores do metal.
Rússia, Irão, Angola, Brasil e Venezuela já aceitaram que a China pague o petróleo importado em iuanes...(...)
Ler em "China acelera fim do petrodólar"
E o que é que significa tal notícia?  O vídeo explica


Agradeço ao Cid Simões 
a cedência deste vídeo

5 comentários:

Catarina disse...

Fiquei a pensar...

Muito bem explicado.

Elvira Carvalho disse...

Muito interessante. Sempre pensei que no dia em que o dragão acordasse, o mundo ia levar uma grande volta.
Abraço

Lídia Borges disse...

Esclarecedor, sem dúvida. Ainda que o próprio petróleo, bem como o gás natural poderão, também eles, estar em queda precipitada para o fim. Penso que aqueles países que, neste momento, mais investem nas energias alternativas, (mesmo tendo ainda petróleo), serão os mais sensatos no presente e os mais prósperos, no futuro.

Lídia

Maria João Brito de Sousa disse...

Correu, ontem, pelas notícias que o bitcoin estava a ter problemas e aperder valor.
Como deves calcular, as complexas manobras das guerras económicas nunca foram o meu forte, mas o vídeo parece-me esclarecedor, embora continue a perguntar-me que ferramentas, que suportes, que defesas,terão os milhões e milhões de pobres que hoje existem - e têm vindo a crescer em número... - para poderem sobreviver a tanta imparável/implacável inovação tecnológica...

Ah, esquecia-me de acrescentar que também não sou muito dada a desígnios divinos, fantasmas e teorias da conspiração. Mas nestas últimas só não creio quando são interpretadas à letra e, consequentemente, extrapoladas e potenciadas pelos terrores pessoais de cada um.

Publicarás se assim o entenderes.

Forte abraço.

© Piedade Araújo Sol disse...

Isto está muito bem explicado...
:(