01 fevereiro, 2018

Centeno e o alívio sentido por poder continuar a malhar...


Quando percebo que me podem confundir com o lado errado, fico calado. Fico calado, que é como quem diz, não escrevo. E o tanto que tinha que escrever sobre Centeno. Agora, aliviado posso continuar a atacá-lo, mas por questões pertinentes, sérias. Sérias como aquelas que em anterior post, por interposto autor, sintetizei... 

Agora vejamos o outro lado da noticia, em conformidade com a imagem acima:
  • A RTP, na chamada à leitura, surge parecendo que nem se tenha empenhado em dar eco à atoarda;
  • O Observador, constrangido, não desarma;
  • E o Público, vem agora colocar aspas no "óbvio" pois o seu julgamento na praça pública era "apenas" no domínio ético...
Perdido para já o eco, posso então continuar a malhar nas opções políticas do Centeno, sem incorrer no risco de alinhar com o lado errado...  É o que continuarei a fazer.

5 comentários:

Maria João Brito de Sousa disse...

Ao artigo do Público, não chego; ultrapassei o meu limite de leituras gratuitas.
Quanto aos outros periódicos, tal como tu, penso que muita tinta se gastou em torno de coisa nenhuma.

Abraço

Elvira Carvalho disse...

Um bom exemplo da imprensa que temos.
Abraço

Rogerio G. V. Pereira disse...

Parece-te!
Há sempre gente em que a primeira ideia
é a aquela que prevalece...

Rogerio G. V. Pereira disse...

Imprensa
que aposta
em dar a volta
à cabeça

A nossa mantém-se avisada, direita

Maria João Brito de Sousa disse...

Parece-me e é verdade,para quem use as tais pinças e máscaras durante as leituras. Claro que estou farta de saber que muitos - muitos mesmo - não as usam, daí que a primeira coisa que pareça fazer sentido prevaleça. Sei-o eu, que uso as tais pinças, e sabe-o quem noticia...