25 fevereiro, 2018

Um conto ao Domingo - IV ("Governo")

Por ressaca justificada
hoje o conto é d´outro

 

«Os garotos da rua resolveram brincar de Governo, escolheram o Presidente e pediram-lhe que governasse para o bem de todos.
- Pois não - aceitou Martim. - Daqui por diante vocês farão meus exercícios escolares e eu assino. Clóvis e mais dois de vocês formarão a minha segurança. Januário será meu Ministro da Fazenda e pagará o meu lanche.
- Com que dinheiro? - atalhou Januário.
- Cada um de vocês contribuirá com um cruzeiro por dia para a caixinha do Governo.
- E que é que nós lucramos com isso? - perguntaram em coro.
- Lucram a certeza de que têm um bom Presidente. Eu separo as brigas, distribuo tarefas, trato de igual para igual com os professores. Vocês obedecem, democraticamente.
- Assim não vale. O Presidente deve ser nosso servidor, ou pelo menos saber que todos somos iguais a ele. Queremos vantagens.
- Eu sou o Presidente e não posso ser igual a vocês, que são presididos. Se exigirem coisas de mim, serão multados e perderão o direito de participar da minha comitiva nas festas. Pensam que ser Presidente é moleza? Já estou sentindo como este cargo é cheio de espinhos.
Foi deposto, e dissolvida a República.»
Carlos Drummond de Andrade

5 comentários:

Maria João Brito de Sousa disse...

Está mais do que perdoada, essa tua justificada ressaca, sobretudo porque, apesar dela, soubeste escolher um belo conto de Carlos Drummond de Andrade para este Domingo.:)

Um grande abraço

Anónimo disse...

EXcelente conto, infelizmente verdadeiro ...
Boa semana

São

Rogerio G. V. Pereira disse...

Tenho o cuidado
de escolher um autor
que seja ao meu nível
ou, se possível, melhor

Rogerio G. V. Pereira disse...

Não, não é verdadeiro
Os ditadores,
não são expulsos do poleiro

Elvira Carvalho disse...

Tomara que os adultos tivessem o mesmo poder de depor os presidentes corruptos.
Abraço e boa semana