13 julho, 2018

D. António Ferreira Gomes e as 35 horas de trabalho...

«Tomemos, por mero exemplo, as greves de Abril em Espanha, que os jornais  disseram provir duma exigência de redução de horas de trabalho (embora pareça que isto não é verdade).
Logo se falou, parece que oficialmente, de comunismo.
Mas não tinha o Papa, pouco antes, falado da perspectiva da diminuição do tempo de trabalho e das novas responsabilidades de aí emergentes para a Igreja e para a Sociedade?...»
D. António Ferreira Gomes, in "Carta a Salazar"
13 de Julho de 1958
 Claro que relembro a carta por muito mais que o citado, relembro pela actualidade do texto e pela exemplaridade do acto.

Hoje, só por isto, seria excomungado o Bispo! 

Sem comentários: