28 julho, 2018

A dona Esmeralda e a vizinha do 4º andar, a conversar - (34) ["Bairro da Medrosa"]


Vizinha do 4º andar - Ai D. Esmeralda, ao estado que chegou este nosso Bairro da Medrosa!
D. Esmeralda - Ora… as pessoas só se queixam quando o mal lhes bate à porta!  
Vizinha do 4º andar -Não falo por mim, à porta do prédio se há erva, a gente arranca. Se há lixo, a gente varre. Se o sumidouro está entupido, a gente trata disso...
D. Esmeralda - Quer dizer que a Junta de Freguesia fica dispensada de tal serviço?
Vizinha do 4º andar - A Junta? Então não é a Câmara?
D. Esmeralda -Tem razão, ao certo não sei. Nunca sei quando se é freguês, ou quando se é munícipe.  As coisas por aqui estão uma baralhada...
Vizinha do 4º andar - Consta que a Junta não tem dinheiro p´ra nada...
D. Esmeralda - ... e a Câmara com bom saldo financeiro, nem faz nem delega como a lei manda que faça...
Vizinha do 4º andar -Ah! e o estado dos contentores?
D. Esmeralda - Então, e o estado do piso?
Vizinha do 4º andar -Ah! e aquele monte de lixo de obra, que por ali está e ninguém lhe dá destino?
D. Esmeralda -E então, não fala da praga de ratos
Rogérito (da janela do 3º, gesticulando como quem declama)
Os ratinhos
Tão engraçados
Fazem os ninhos
Com mil cuidados

São p´ra os filhinhos
Que não param de ter
E a praga
não para de crescer

E as ratazanas, lá têm
Os seus meninos
Tão pequeninos
Lindos ratinhos

Nunca se faça
Mal a um ninho
À linda graça
de um ratinho

Estão bem,
por aqui
Não pagam renda
Nem taxa de IMI

A Câmara, é amiga
Não lhes cobra
Coima
Nem os desratiza
(texto inspirado por outro que coloquei no facebook)


Sem comentários: