10 junho, 2019

O regresso ao Dia da Raça?

«O Portugal da Mini – um discurso salazarista em Portalegre»

Não resisto, e cito:
«... a arenga de JMT explorou os sentimentos mais baixos das turbas: a resignação, o servilismo hipócrita e a recusa de cada português assumir as suas responsabilidades. Populismo do mais reles. A demagogia do discurso assentou em dois pilares clássicos, já utilizados por Salazar na definição da sua família na capa do livro da 3ª Classe da Escola Primária: os portugueses querem uma vidazinha, uma casinha, os filhos educados, pão e vinho sobre a mesa, um emprego no Estado, uma semana no Algarve, referiu o tribuno, numa concessão pós-moderna. Mais, os portugueses devem abster-se de assumir responsabilidades políticas – a política é uma porca e os políticos uns malandros da pior espécie, disse ele por outras palavras. Só não esclareceu que somos nós, os portugueses, a escolhê-los e a elegê-los, porque isso nos responsabiliza e o discurso da JMT é o da irresponsabilidade. Se os portugueses soubessem o que custa mandar preferiam obedecer, já Salazar sentenciou. (...) O discurso deste 10 de Junho foi um discurso salazarista, com meio século de atraso, que podia ter sido proferido por um antigo graduado da Mocidade Portuguesa. Felizmente Portugal tem muito melhor que este JMT. Infelizmente são estes demagogos sem história que sobem às tribunas da opinião pública. Não é por acaso… e é perigoso…»
Carlos Matos Gomes, Militar de Abril, aqui
Sim, é perigoso e Marcelo sabe quem convida.

4 comentários:

Elvira Carvalho disse...

Como eu tenho dito, de vez em quando o pé foge ao PR para as suas águas.
Abraço e uma boa semana

Janita disse...

Lamentável a escolha do PR. Quanto a mim, descredibilizou a importância dada à personalidade escolhida para este discurso e todos os escolhidos em anos anteriores.

O sentido de celebrar o dia da raça no nosso país, é bem diferente do que se passa no Brasil, onde o dia é celebrado a 5 de Setembro. Mas, como todos sabemos, quando há quinhentos anos os portugueses lá chegaram, as terras já eram habitadas por índios. Foi da miscigenação entre índios, brancos, negros e de outros povos que lá foram chegando, incluindo asiáticos, que se fez o povo brasileiro actual, fruto de culturas e características bem diversas.

Durante o Estado Novo é que era chamado a este dia o Dia da Raça, talvez para servir os interesses ditatoriais de Salazar. Não acredito que retrocedamos tanto assim...

E com esta me vou pois já falei muito. :)

Maria João Brito de Sousa disse...

Estou de saída para mais uma consulta e adianto já que não ouvi o discurso. Atendendo ao que aqui transcreves e ao periclitante estado em que se encontra o meu músculo cardíaco, ainda bem que o não ouvi.

Abraço

Rosa dos Ventos disse...

Não o ouvi mas li-o, achei péssimo!
Uma escolha completamente tola e perigosa!

Abraço