22 janeiro, 2016

Marcelo Rebelo de Sousa. E se as vozes fossem mais que as nozes?

 

A despedida do professor da sua condição de candidato a candidato foi um espectáculo. 
Reunindo todos os seus seis "mandatários" (e mais quem lhe assinava o cheque) houve momentos comoventes. Em 15 anos de presença, sem folgas nem descanso, o seu "tempo de antena" semanal no ‘Jornal das 8’ da TVI bateu, naquele domingo, um recorde de audiências e, num pico, registou 1.783.300 eleitores-basbaques.  O homem entusiasmou-se e, de pronto, anunciou o que antes já antes tinha anunciado: "Portugueses, eu sou já o vosso presidente". 
Mas nem sempre um professor-advogado é dado a contas: 2.401.015 votos foram os necessários para eleger Cavaco e este passou por "uma unha negra"
Dia 25 ofereço-lhe uma máquina de calcular!

14 comentários:

  1. Assim seja! O discurso bafiento e paternalista que acabou de fazer coroa o populismo a raiar o ridículo da sua campanha.

    Beijinhos, Rogério. :)

    ResponderEliminar
  2. Se tratando de discursos estou sempre por trás das cortinas!...
    AbraçO

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por detrás dos panos
      se omitem gestos
      e se fabricam enganos

      É preciso estar sempre em cena

      Eliminar
  3. Quem dera que os portugueses, pensassem bem antes de votar.
    Abraço e bom fim de semana

    ResponderEliminar
  4. por vezes há surpresas...mas...

    bom fim de semana

    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Espera_nça

      é já de si uma espera
      amanhã saberemos
      Votemos!

      Eliminar
  5. Há quem diga que Marcelo é a pessoa ideal. Mas o que será isso de pessoa ideal?
    Como não sou fã de pessoas ideais, com o meu voto ele não conta.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ...e já somos dois
      faltam-nos uns poucos... milhões

      Eliminar
  6. Marcelo não é Cavaco
    mas tem o seu apoio

    ResponderEliminar