27 novembro, 2016

Fidel, in memoriam - "... há os que lutam toda a vida e estes são imprescindíveis" - escreveu Brecht


As imagens são de um Homem, excepto uma que retrata a emoção de um povo. Na sua maioria situa há quantas horas lhe foram dedicados textos, artigos de homenagens ou de simples noticias.
Sobre a sua morte não faz sentido falar-se (há mortos que não partem) a não ser para dizer que Fidel fez um percurso, mas o verdadeiro protagonismo pertence ao povo cubano.
Falemos então dele, do povo cubano. Podíamos começar por Havana e ver imagens de resultam de um desumano bloqueio e compará-las com outra cidade, esta americana que, tendo tido população também cerca de 2 milhões de habitantes, não resistiu à tragédia que lhe inferiu o capitalismo. Detroit ruiu, Havana não.
Vejamos, então: