05 janeiro, 2011

Pequena exposição - Malangatana pintor de África...

_
EXPOSIÇÃO PARA REGISTO MEU




Não sei porque e de que morreu
que sei eu?
como posso ter a certeza?

(rima triste, esta minha...)
--
--
Sonata a Três Mãos

20 comentários:

  1. Querido Rogério, gostava, gosto tanto da obra de Malangantana... fiquei triste.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Tv de tristeza mm...
    mas deixa a obra q nos enche os olhos, o coração e a alma.
    Abraço

    ResponderEliminar
  3. Quem sabe se não foi de tristeza mesmo
    ...

    ResponderEliminar
  4. Fiquei hoje a saber... ele já estava muito doente
    Ficamos mais pobres e, nestas alturas, é bom lembrar como é breve a nossa passagem por este Mundo... só isso, deveria ser motivo para uma maior união entre as pessoas...

    Bjos

    ResponderEliminar
  5. Embora urgente esta sua exposição não vai a tempo de lhe devolver a alegria, mas a obra perpetuará a sua alma.
    Até um dia Malangatana.

    beijinhos

    ResponderEliminar
  6. No caso de um homem que conheci pessoalmente

    só me apetece dizer
    que não deixaremos morrer
    os nossos mortos

    ResponderEliminar
  7. Falarei de Malangatana, quando os "Caminhos do Meu Navegar" chegar a terras de Nova Lisboa (Huambo)e também quando a Moçambiqoe aportar...

    ResponderEliminar
  8. Olá, Rogério
    Só morrem os que (quando) são esquecidos, que não é o caso.
    A sua obra torna-o imortal, embora se compreenda a tristeza gerada pelo desaparecimento.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  9. Morreu hoje Malangatana
    Escorreu-lhe a tinta pelos dedos
    Ao pintar as cores da Savana
    Que para ele não tinha segredes

    Um abraço,
    José.

    ResponderEliminar
  10. Amigo Rogério!

    Perdemos o pintor e o lutador.
    Só podia estar triste, agora somamos a sua tristeza à nossa pela sua partida.

    Beijooooo

    ResponderEliminar
  11. Rogério,
    não te abandonei, o tempo e as tarefas é que não me permitiram maiores visitas.
    O quadro é lindo! Não conhecia o pintor, vou procurar saber mais sobre ele. Mas antes preciso colocar em dia o "caminhos do meu navegar"
    Feliz 2011
    bjs carinhosos
    Jussara

    ResponderEliminar
  12. Olá, amigo!
    Passei para uma visitinha... e descubro que o mundo ficou mais pobre...
    Beijinhos.
    Brasil ♥♥
    °º
    •*• ♫° ·.

    ResponderEliminar
  13. Rogério, voltei.
    Me sinto envergonhada por não conhecer Malangatana, fui ao google e vi quadros lindos! Além da história incrível dele, acredito que foi uma grande perda para vocês.
    bjs
    Jussara

    ResponderEliminar
  14. Rogériamigo

    Esta familiaridade de tratamento é liberdade que tomo, pois, para mim, a Amizade é uma das coisas mais belas que temos neste nosso pobre Mundo. Se achares mal - diz-me.

    Conheci Malangata, muitas vezes conversei com ele, gozei do seu humor natural e gozei, sobretudo, quando se punha a cantar no meio de uma conversa-discussão de Amigos.

    Homem de muitas cores e muitas intenções e muitas maravilhas escondidas na sua paleta e descobertas pelo seu pincel. É com muita saudade que o vejo partir. Depois do Carlos Pinto Coelho, já chega de moçambicanos excelentes.

    Espero por ti lá na Minha Travessa. Com comentários e (per)seguição. Não é um pedido; é uma ORDEM... hahahaha

    Abs

    ResponderEliminar
  15. Caro Rogério
    A melhor forma de o recordar é pensarmos no grande Homem que ele foi e nas mãos dele que fizeram grandes obras de arte.
    Beijinho

    ResponderEliminar
  16. Lamentavelmente não conheço a sua obra. Mas farei questão de conhecer a partir de hoje.

    ResponderEliminar
  17. Que descanse em Paz no Paraíso.
    Aqui na Terra ficará a sua Obra para perpetuar a sua Memória.
    Rogério, um abraço.
    Janita

    ResponderEliminar
  18. A rima é triste porque triste está a tua alma e a minha.

    Moçambique está mais pobre mas nós também perdemos um grande amigo.

    Em Maputo, a sua presença era e irá continuar espalhada pelos locais públicos mais significativos o que enche aqueles espaços de arte e forte colorido.

    Quando assim acontece o homem morre mas a sua obra fica a perpetuar a sua memória.

    ResponderEliminar
  19. mais uma estrela que está no céu... aqui, na terra, ficamos mais pobres. é certo. mas, olhemos para o céu... e saberemos que, um dia, aquela estrelinha lá longe, brilhou bem perto de nós. assim, a nossa alma sorrirá...

    abraçinho...

    ResponderEliminar