08 outubro, 2014

A blogosfera já não é o que era, mas importa que revigore a sua força....


  • É certamente "quixotesco" o que penso, mas vale a pena fazer o mínimo para contrariar a limpeza à ética que ainda resta, limpeza que está a acontecer desde há muito, na imprensa. A net é ainda (e por enquanto) um espaço onde se escreve com a liberdade necessária. A blogosfera já não é aquilo que era, mas importa que revigore a sua força interventiva, mesmo com "interregnos para coisas belas" (até porque precisamos delas).

  • Em Maio de 2011, Pedro Tadeu, então director-adjunto do DN, escrevia «Os que me rodeiam avisam: "Não o faças. É um suicídio profissional." Mas não me sinto tranquilo: como pode um jornalista ser honesto com os seus leitores se escrever artigos de opinião política sem revelar as suas opções ideológicas?» e deu a conhecer, nesse seu escrito, as opções que tinha. De Baptista Bastos, de uma outra geração, já há muito que eram conhecidas as suas ideias subversivas, escritas com belas palavras: As palavras, meus dilectos, nunca são uma memória a fundo perdido (assim as descreveu hoje). Foram ambos varridos, num curto espaço de tempo. A saída de Tadeu, fez-se sem alarido conhecido. Baptista Bastos explicou, ele próprio, a sua saída
    Que podemos nós fazer?  Sei lá, talvez escrever...
    _______________________
    PS: Em aditamento ao escrito, Pedro Tadeu foi "apenas" varrido da direcção do  jornal, continuando a sua colaboração (na coluna de "opinião". O mesmo não se passa com José Manuel Pureza. Este foi  mesmo objecto da dita limpeza.