30 outubro, 2014

Diário de um eleito (14)


Diz-me Minha Alma "focaliza-te" e responde-lhe Meu Contrário estar focalizado. E é verdade, Meu Contrário tem estado. Por via disso, e porque amanhã há sessão do Conselho Municipal de Saúde, nos últimos dias não temos, ele e Eu, feito outra coisa senão estudar textos e contextos relativos ao que mais nos toca: a alimentação nas escolas e sua relação com a saúde (estudando as tantas formas de que se reveste a fome). Não é, contudo, assunto único, os outros são os cuidados primários e o funcionamento dos agrupamentos dos centros de saúde... Amanhã, espero ter uma boa notícia sobre os 20 000 utentes sem médico de família, pois foi pré-anunciado que iriam ser integrados mais 7 médicos... sobre as más noticias, procuro antecipá-las para não ser apanhado desprevenido... Como? Para já, lendo os jornais. E que jornais tenho lido? Todos, recentes e antigos: deixo alguns exemplos:
«Em declarações à Lusa, Ana Jorge afirmou que o governo nunca tinha aberto esta opção, mas anunciou que agora está a ser trabalhada uma proposta que abre a “possibilidade de ter unidades organizadas por cooperativas de médicos, associações, entidades privadas”.»
Agência Lusa - "Saúde: Governo (Sócrates) abre instalação de unidades de saúde familiares a privados e cooperativas de médicos" - Maio de 2011;
«O ministro Paulo Macedo sugeriu no dia 7 de Outubro a criação de compromissos duradouros entre Governo e Partido Socialista, conferindo de algum modo à saúde a possibilidade de constituir o mote para um eventual consenso mais alargado de governação. (...) No essencial e por agora, a minha opinião é de que o Partido Socialista deve tentar perceber se este é o sentimento genuíno de todo o Governo (PSD e CDS) ou se não passa de uma tentativa de aproximação oportunista face ao calendário eleitoral de 2015. (...) Como fiz no PS, também no país estou disponível para lutar por compromissos duradouros e estabelecer pontes. À esquerda ou com a verdadeira social-democracia.»
Álvaro Beleza, Público, hoje

Entretanto acho que as coisas vão avançando no sentido do que Ana Jorge já dizia:
«“CONDIÇÕES DE ABERTURA DAS USF MODELO C AO SECTOR SOCIAL E COOPERATIVO A TÍTULO EXPERIMENTAL” - RECOMENDAÇÕES E PROPOSTAS” (a tipologia de Unidade de Saúde Familiar do modelo C abrange as USF do sector social, cooperativo e privado)
Grupo de Trabalho nomeado em Março de 2013