26 outubro, 2014

Geração sentada, conversando na esplanada - 73 (quando alguma situação é complexa e difusa, oiço as palavras das minhas referências, para que a realidade não me fuja...)

(ler conversa anterior)


“Teve muitos erros e acertos, mas uma coisa é fato: o governo Dilma é claramente uma continuidade do governo Lula, o que não é ruim. Continua com boas políticas sociais e de base, no entanto, por conta do perfil de política do PT, que vem mudando nas últimas décadas, Dilma se preocupou demasiadamente com o modo de fazer política através das muitas alianças, e isso pode ter atrasado medidas importantes à população”
Eduardo Galeano, aqui




Estava Eu em diálogo com Minha Alma comentando que para o nosso equilíbrio é bom perseverar algumas rotinas, referindo aquele lazer de por ali estar, quando a Gaby nos interrompeu os pensamentos para interrogar, em voz bem alta, a Ana. "Silvio Rodriguez, diz-te alguma coisa?", e sem esperar resposta "...o gajo também apoia Dilma!". Seguiu-se um diálogo entre elas, depois alargado à Teresa. Chegadas à conclusão que nenhuma conhecia, sugeri que a net as podia ajudar... Lá encontraram, e ouviram. "É lindo!Nunca o tinha ouvido", disse olhando-me e quase me inquirindo para depois fazer uma pergunta directa: "A Dilma ganha? Por mim até os acho iguais! Aquilo é uma confusão... O que é que acha?"
Minha Alma aconselho-me calma e Meu Contrário a que a desenganasse. Optei por seguir o que Minha Alma aconselhava: "Sabe?, quando alguma situação é complexa e difusa, oiço as palavras das minhas referências, para que a realidade não me fuja..." Não se conteve "Parece ser boa solução! E essas referências, quais são?"
"Tudo gente conhecida e batida: Chico Buarque, Beth Carvalho, Gilberto Gil, Caetano Veloso, Alcione, Leonardo Boff, Eduardo Galeano... esse Silvio..." 
E ficou pensativa, enquanto Teresa voltava a colocar a voz bem timbrada de Silvio Rodriguez.