15 janeiro, 2015

E agora? Que farei sem o meu rato?



Depois do acontecido e já contado sobre o que se passou com o meu gato, que se chamava "Gato", nunca mais aceitei outro. A aceitar, tinha ser na condição de se dar bem com o meu rato. Esse existe. Ou melhor, existia. Desde que tenho a porta (USB)avariada o rato existe mas é um mono e não me serve para nada. Pior, à falta dele é asneira atrás de asneira. O remédio?, já se vê, é mesmo arranjar a porta (USB).