15 agosto, 2011

Texto inapropriado (1)

Começo esta minha nova rubrica de textos inapropriados ao dia-a-dia (neste, por nada ter a ver com férias) para citar e transcrever parte de um artigo, publicado em dois lados, que costumo seguir. (aqui e aqui) Reporta-se à conferência, na sua passagem pelo Brasil, do filósofo húngaro István Mészáros, “Crise estrutural necessita de mudança estrutural”, realizada na Universidade Federal da Bahia (UFBA) e enquadrada nas comemorações dos 70 anos da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da UFBA. O Salão Nobre da Reitoria foi tomado por uma maioria jovem que recebeu Mészáros com entusiasmo e sonoras palmas. O texto merece leitura integral, bem como os oportunos comentários colocados neste site. Eis algumas passagens:


“(...) Existe e deve existir esperança”, diz o filósofo. Apesar do retrato de destruição apresentado por Mészáros e vivenciado quotidianamente dentro da própria estrutura capitalista da sociedade, faz-se o esforço de pensar o futuro, não apenas como um desejo sonhador, mas sim como uma tarefa necessária para mudar o sistema.

(...)Mészáros (...) aponta como soluções já tentadas na história: a saída social democrata, socialismo evolutivo, o Estado de Bem Estar Social e a promessa da fase mais elevada do socialismo. “O denominador comum de todas essas tentativas fracassadas – a despeito de suas diferenças principais – é que todas elas tentaram atingir seus objectivos dentro da base estrutural da ordem sociometabólica estabelecida”. Pensar a mudança sem erradicar o capital, portanto, seria deixar latente a possibilidade do capital voltar, ser “restaurado”. A mudança, para Mészáros, precisa ser estrutural e radical, como ele bem especificou para a plateia, extirpando o capital pela raiz (...)