21 dezembro, 2015

BANIF - Não, não é um conto da época natalícia nem a canção é uma canção de Natal


7 comentários:

  1. É a canção do quarteto bandido. As três da imagem e mais a mentira que traziam colada à pele.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  2. Isso, do Banif, não será um conto para crianças?!

    ResponderEliminar
  3. A Política com um Novo Paradigma


    BPN, BES, Novo Banco, Banif... e... por aonde é que anda a capacidade negocial do contribuinte!!!???!!!???!!!
    .
    Ora, de facto, por muitos mestres/elite em economia que existam por aí... porque é que quem paga (vulgo contribuinte) não há-de ter uma palavra a dizer!!!???!!!???!!!
    .
    Mais, foram mestres/elite em economia que enfiaram ao contribuinte autoestradas 'olha lá vem um', estádios de futebol vazios, BPN, BES, Novo Banco, Banif, etc.
    .
    .
    O CONTRIBUINTE NÃO PODE IR ATRÁS DA CONVERSA DOS PAROLIZADORES DE CONTRIBUINTES - estes, ao mesmo tempo que se armam em arautos/milagreiros em economia (etc), por outro lado, procuram retirar capacidade negocial ao contribuinte!!!
    .
    Mais, quando um cidadão quando está a votar num político (num partido) não concorda necessariamente com tudo o que esse político diz!
    Leia-se, um político não se pode limitar a apresentar propostas (promessas) eleitorais... tem também de referir que possui a capacidade de apresentar as suas mais variadas ideias de governação em condições aonde o contribuinte/consumidor esteja dotado de um elevado poder negocial!!!
    -» Ver blogs « http://fimcidadaniainfantil.blogspot.pt/ » e « http://concorrenciaaserio.blogspot.pt/ ».
    .
    .
    .
    Anexo:
    O CONTRIBUINTE TEM QUE SE DAR AO TRABALHO!!!
    -» Leia-se: o contribuinte tem de ajudar no combate aos lobbys que se consideram os donos da democracia!
    ---»»» Democracia Semi-Directa «««---
    -» Isto é, votar em políticos não é (não pode ser) passar um cheque em branco isto é, ou seja, os políticos e os lobbys pró-despesa/endividamento poderão discutir à vontade a utilização de dinheiros públicos... só que depois... a ‘coisa’ terá que passar pelo crivo de quem paga (vulgo contribuinte).
    -» Leia-se: deve existir o DIREITO AO VETO de quem paga!!!
    [ver blog « Fim-da-Cidadania-Infantil »]
    .
    .
    P.S.
    Outros Direitos que já há alguns anos (comecei nos fóruns clix e sapo) aqui o je vem divulgando:
    1- O Direito à Sobrevivência de Identidades Autóctones : ver blog "http://separatismo--50--50.blogspot.com/".
    2- O Direito à Monoparentalidade em Sociedades Tradicionalmente Monogâmicas: ver blog "http://tabusexo.blogspot.com/".

    ResponderEliminar

  4. Foi uma saída "limpinha". Se o lixo não se vê, não existe. E o que haverá ainda ainda por aí escondido no fundo dos "cofres cheios".

    Presentes deixados por este três Reis "aMArGOS".

    Lidia

    ResponderEliminar
  5. Que raio de País é este???
    O que é responsabilidade política? E criminal? E ética? E justiça? E...?
    Será legítimo exigir-se ao cidadão comum que pague impostos?
    É conveniente que alguém venha explicar, muito bem, estas coisas.
    Que autoridade e moralidade submete todo um país, por tanto tempo?

    ResponderEliminar
  6. Mais uma vergonha!

    Beijinhos, Rogério.

    ResponderEliminar