05 dezembro, 2015

Asas


ASAS
Não invejo os pássaros
só por terem asas
e bordejarem  as ondas
em voos rasantes

Não invejo os pássaros
por inspirarem apenas
sentidos poemas

O que invejo nos pássaros
é essa capacidade imensa
de usar a sua natureza
em voos persistentes, prolongados

para a sobrevivência da espécie
Rogério Pereira