05 dezembro, 2015

Asas


ASAS
Não invejo os pássaros
só por terem asas
e bordejarem  as ondas
em voos rasantes

Não invejo os pássaros
por inspirarem apenas
sentidos poemas

O que invejo nos pássaros
é essa capacidade imensa
de usar a sua natureza
em voos persistentes, prolongados

para a sobrevivência da espécie
Rogério Pereira

4 comentários:

Elvira Carvalho disse...

Um post muito bom. Excelente combinação poema imagem.
Um abraço e bom Domingo.

© Piedade Araújo Sol disse...

Rogério

fiquei sem palavras...sensibilizada e comovida!

ainda bem que a minha foto inspirou o Poeta.

muito obrigada!

bom domingo

beijo

:)

Agostinho disse...

Com boa respiração, Rogério,
Persistência não é insistência,
É saber manter a decência
sobre o turbilhão da espuma.

Fê blue bird disse...

Quando se junta a arte da fotografia com a da poesia só pode acontecer esta magia!
Os pássaros são muito resistentes meu amigo!

Um beijinho