19 dezembro, 2015

Desmentido (de um distraído)

Generosa e sensível a tão bela e poética prosa, a Elvira editou-a tomando-a como minha. Este post é um desmentido, pois o seu a seu dono. Faço o que é devido e coloco-o assinado (e não é por mim). Leiam. É lindo

Receita para adoçamento de melancolias



Ingredientes:
·          - toda a melancolia disponível
·           - mel
·          - um pau de camélia
·          - amor condensado
·          - sorrisos ao natural
·          -  ternura q. nunca b.
·          - uma vagem de sol
·          - um noz de luar
(De véspera, coloque a tristeza de molho para que largue o excesso de acidez.)
Comece por colocá-la em pequenas porções na centrifugadora e bata até obter um suco bem fluído.
Junte duas colheres (de sopa) de mel bem cheias, um pau de camélia de preferência com rebentos em estado de promessa rosada. Envolva bem.
Em seguida adicione umas gotinhas de amor condensado e uma chávena de sorrisos. (Atenção: não use sorrisos cristalizados, opte por sorrisos ao natural, para não ter surpresas menos doces no final.)
Não esqueça a ternura (levemente açucarada), sem medida, em castelo firme, batida.
Prove. Se estiver ainda amargo, acrescente um pouco do sumo do sol contrapesado com uma pitada de luar para não enjoar.
Verta para uma forma (em forma de coração, de preferência) e leve a corar em forno brando. Depois de desenformado polvilhe com uma mãozinha de versos granulados.
Sirva em finas fatias a quem passar, a quem quiser provar…
Bom Apetite!
(texto da Lídia Borges, in Seara de Versos)
Enviar um comentário