06 outubro, 2010

As palavras saem-me do corpo (a alma só atrapalha)

-
A minha palavra
é um braço
com que te enlaço
e um punho erguido
necessário, sentido
A minha palavra
é um gesto lento
é um lamento
um grito ouvido
de um homem ferido
A minha palavra
nem sempe é bela
é um comer saído da gamela
é um sorvo, um beber
é um dar do meu saber
A minha palavra
prentendendo-a justa, é louca
é uma boca
com lábios de beijar
e dentes de morder, de trincar

14 comentários:

Tite disse...

Então e este texto, é teu ou de Saramago?
Andas a confundir os teus leitores com a qualidade dos teus escritos é o que é.

Este aqui é maravilhoso, parabéns amigo!

Abraços

Wanderley Elian Lima disse...

As vezes não precisamos de palavras para expressar nossos sentimentos. Nosso corpo fala por nós.
abração

mdsol disse...

Muito bem, Rogério.
Eu diria a alma à flor da pele, ou uma pele cheia de alma. Está a ver? Não consigo olhar para o Homem dividido em corpo e alma. Uma totalidade criadora, isso sim.

:))

Manuela disse...

Rogério, como eu gosto das suas palavras :)
Beijinhos

folha seca disse...

Caro Rogério
Em tempos em que as palavras feias insistem em sair das nossas bocas, encontrar palavras tão belas, só pode ser isso mesmo: "a alma só atrapalha"
Abraço

lolipop disse...

Eu posso não ser fã de Saramago, mas acredite que aprecio bastante as suas palavras e as voltas que lhes dá.
um abraço
PS: Tenho lá um jazz á sua espera...

flor de jasmim disse...

Caro Rogério

Como já disse num outro comentário o meu blogue é (um recém nascido) tenho escrito muito mas em papel, nem sempre é fácil passar para uma "folha de papel morta" o que nos vai na alma e como diz o Rogério "a alma só atrapalha" mas com ela ou sem, o Rogério consegue nos transmitir algo sempre belo.

Um Abraço

Saozita disse...

Estimado Rogério, que lindo poema! Palavras em versos encantadores e escritos de forma melódica. Parabéns, gostei!

Tenha uma boa semana.

Bjs

Sãozita

Fernanda disse...

Querido amigo Rogério!

A tua palavra é isso tudo e ainda bem que é!
Palavras com alma e alma em tudo.

Beijinhos

Fê-blue bird disse...

Meu amigo.
Permita-me:

A sua palavra
é um abraço
que nos enlaça
e um punho erguido
necessário, sentido
A sua palavra
é um gesto lento
e um lamento
um grito ouvido
de um homem ferido
por nós tão querido
A sua palavra
é sempre bela
é um comer saído da gamela
é um sorvo, um beber
é um dar do seu saber
A sua palavra
é justa, é louca
é uma boca
com lábios de beijar
e dentes de morder, de trincar
A sua palavra
É um doce avinagrar.


Beijinhos

Rogério Pereira disse...

É tão bom ter amigos...
Amigos assim
à volta de mim...

Anónimo disse...

Adoro ler suas réplicas nos comentários do meu blog, são sensacionais!Sua poesia tb ...

bjs

Ps: Mudei o meu blog de endereço, depois dê uma passadinha por lá.

José António Baptista disse...

Olá Rogério,

Gostei. Parabéns!

A palavra é isso e tudo o que queremos. Às vezes é até o que não queremos, ou o que preferíamos não fosse...
Mas é sobretudo Ser!

Abraço

ni disse...

Enternece-me sempre ler poesia sentida, intuida vindo do fundo da alma, tão do fundo que corpo e alma se fundem e me confudem!
Há muito tempo atrás, conseguia escrever qualquer coisita, mas agora que perdi parte da alma, o sentido foi com ela e eu, já não consigo exprimir os sentimentos, nem lágrimas nem lamentos, nem dor nem amor! Tudo partiu, só eu fiquei, com a dor interior de alguém que partiu mas que eu JAMAIS ESQUECEREI! OBRIGADA POR ESTES BELOS MOMENTOS