18 julho, 2011

Em 1970, em Lisboa, mal se conhecia fruta... da boa


"Disse-me, como antes tinha dito, os nomes dos frutos: “Esta tem papaia, aquela abacate, aquelas qui tu tá vendo nu ali, tem muntas manga”. “E a que dá o mamão?”, perguntei por me faltar ver essa, enquanto os odores se misturavam com o cheiro da terra “Essa tá mais nu longe. Custa mais dinheiro”, disse o Meia-Cuca com ar quase severo e que entendi ser seu sinal de não estar para ir mais longe do que tínhamos ido. “É igual a esta que tu ver aqui” e apontou-me a da papaia."

(leia aqui, quando conheci o que hoje é banal ver)

12 comentários:

AMCD disse...

Há um problema com o link.

Rogério Pereira disse...

Obrigado
Agora, já está emendado

Eva Gonçalves disse...

Tenho que ir lá ler por ordem, que fiquei com vontade, mas nunca tenho grande tempo... mas gostei. :)Na minha casa, esses frutos só se cheiram ao longe...

Gisa disse...

O charme saboroso das frutas...
Um grande bj querido amigo

Maria João disse...

Lembro-me bem da primeira vez que vi e comi esta fruta boa e diferente.
Pera abacate e manga, decorria o ano de 1978 e viera na bagagem de um familiar que regressava de Moçambique.

maiuka disse...

Sabe que por momentos me senti a negrita que lhe vendeu a fruta madurinha? Mas au saber que quer era surda, acordei do sonho a que por momentos me transportou.

Beijo

Fê-blue bird disse...

Já lá fui provar toda esta fruta...que desconhecia, ou não fosse eu alfacinha ;)


beijinhos

Rosa dos Ventos disse...

Das enunciadas só gosto de manga e compro poucas vezes!

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Agora ia bem uma manga.Mas das amarelas, que gosto mais do que das verdes.

carol disse...

Discordo! E as laranjas sumarentas? E as tangeridas perfumadas? E as maçãs reinetas? E os pêros bravo-mofo? E as pêras docinhas? E os deliciosos morangos de Sintra?
E as uvas brancas moscatel?

Chega?...

Beijinhos frutados...

Lua Nova disse...

Nada melhor agora (e a qq hora) do que comer uma fruta fresquinha. Meu grande sonho sempre foi viver numa propriedade suficientemente grande para que tivesse lá um pomar onde, com certeza, eu passaria muitas horas do meu dia.
Cá no Brasil, eu adoro ouvir o sotaque do povo do interior, o sotaque "caipira". Eles não se preocupam com as regras gramaticais, mas conhecem bem as lições da natureza.
Beijokas, meu caríssimo Rogério.

Isa GT disse...

Estive a pôr a leitura em dia, quanto à fruta da boa... só espero que ainda me vá dando para uns peritos e umas laranjitas... qualquer dia só há peras mas... das chamadas 3,5%

Bjos