11 julho, 2011

Poemas na praia (escritos para mim) - I

Vamos, não chores.
A infância está perdida.
A mocidade está perdida.
Mas a vida não se perdeu.

O primeiro amor passou.
O segundo amor passou.
O terceiro amor passou.
Mas o coração continua.

Perdeste o melhor amigo.
Não tentaste qualquer viagem.
Não possuis carro, navio, terra.
Mas tens um cão.

Algumas palavras duras,
em voz mansa, te golpearam.
Nunca, nunca cicatrizam.
Mas, e o humour?

A injustiça não se resolve.
À sombra do mundo errado
murmuraste um protesto tímido.
Mas virão outros.

Tudo somado, devias
precipitar-te, de vez, nas águas.
Estás nu na areia, no vento...
Dorme, meu filho.
(*) Carlos Drummond de Andrade

10 comentários:

  1. Uma magnífica escolha, Rogério, seja na praia ou em qualquer outro lugar.

    Abraço

    ResponderEliminar
  2. Podem também ser para mim???
    Beijinho

    ResponderEliminar
  3. Rogério,

    Não fico espantada por ter iniciado "poemas na praia". È mesmo seu. Escolho do poema esta quadra, escrita para si (para quem mais podia ser?):

    "A injustiça não se resolve.
    À sombra do mundo errado
    murmuraste um protesto tímido.
    Mas virão outros."

    Boas férias
    Bons poemas

    Beijo

    ResponderEliminar
  4. Estar "nu na areia ao vento" depois de tanto passado é sina de quem nasceu
    "À sombra do mundo errado"

    "A injustiça não se resolve"
    Com sentimentos de culpa
    Que os culpados são outros
    Contra esses a nossa luta

    "Dorme, meu filho"
    Que o sono à hora certa
    "dá saúde e faz crescer"
    Diz o povo que é poeta.




    Um beijo

    ResponderEliminar
  5. Para ti... dizes tu!!!
    Para todos...digo eu!!!

    Boa leitura na praia, sabe sempre tão bem...

    Beijo

    ResponderEliminar
  6. O coração continua batendo
    sempre sempre de seguida
    e ao mesmo tempo sofrendo
    com as injustiças da vida

    Abraço,
    José.

    ResponderEliminar
  7. Muito bonito! Tocante. Muito bem escolhido. CDA é sempre uma excelente escolha.

    Este ainda não conhecia. Muito bonito.

    Merci.

    ResponderEliminar
  8. Quando diz que este poema é para si, acredito nisso. A linha do rumo que traça em cada postagem tem este poema como base.

    Porque o Rogério sabe que

    "A injustiça não se resolve.
    À sombra do mundo errado..."

    Beijo

    ResponderEliminar
  9. Quando escolhemos um poema, ele é nosso porque o sentimos !
    A praia é um excelente lugar para a poesia :)

    Beijinhos

    ResponderEliminar