24 julho, 2013

Honório Novo, um eleito que não traiu o povo!

A Gabriela, minha camarada, ligou-me a meio da tarde. Vinha dar-me conta de uma chamada de uma idosa, frequentadora de um "Centro de Dia" ligado à paróquia, a interrogá-la das razões que terão levado Honório Novo a abandonar a Assembleia da República e a ser substituído. Nem sei o que lhe terá respondido, apenas me queria dar conta do facto dos idosos se terem interrogado e afirmado a sua pena, por o "terem perdido". Registámos ambos o sentimento de perda assim manifestado... A Gabriela ficou de agendar uma visita para cabal explicação. Explicação e  algo que seja dito e que ponha em sossego aquela gente que se inquieta. Honório não é uma deserção e não está dispensado de continuar ao nosso lado... Prova-o o último discurso, o de hoje, na Assembleia da República..


Mas percebe-se a pena causada. Honório Novo não foi apenas um bom tribuno, ele foi e ainda é um bom conversador, alguém que se faz aceitar na interlocução, no diálogo, que esgrime argumentos difíceis de rebater, que não fala por falar... Não é por acaso que raramente aparece, que não é comentador encartado. A sua participação num programa de televisão acontece de vez em quando e o último foi há mais de seis meses... e os que terão a oportunidade de o ter visto nunca mais esquecerão isto:

 

 Outro registo. O que reflecte trabalho. Aquele trabalho que ninguém vê e que raramente é mostrado em canal aberto, à hora de grande audição. Esta interpelação a Faria de Oliveira fica para a história do parlamento nacional. 

 

Imagino que poucos se deterão a ver ou rever vídeos demorados... mas meu blogue não serve unicamente para meus amigos me darem atenção. É um local onde registo a memória, a minha. Para que eu não esqueça... e não esquecerei, que Honório Novo foi um eleito do povo... e que cumpriu.