18 novembro, 2015

A Síria, uma região convertida em ferida e a génese do cancro que os comentadores não comentam...


É do conhecimento comum que quando um corpo se fere e a ferida é mantida, esta se converte em chaga. É do conhecimento comum que se a chaga perdura sem cura, degenera.
Um ferida persistente, convertida em chaga, frequentemente origina um cancro e este, quase sempre, alastra.
O estranho é que, sendo isso do senso comum, diariamente se fale das metástases sem associar estas a sequelas, sinais dolorosos do alastramento do cancro...
O vídeo que edito já é (na net) por demais conhecido, mas os média não falam nisso e os comentadores ignoram a evolução da doença, omitem a origem do cancro. Até quando?

5 comentários:

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Estou a anos luz de conseguir entender esta guerra que coloca um povo conta o próprio país e destrói tudo sem cessar...

Elvira Carvalho disse...

Vi o vídeo ontem à noite e vim revê-lo esta manhã para melhor o compreender, já que tenho o pc na sala e ontem o marido estava aqui vendo TV. Mais ou menos isto, embora não em vídeo já um amigo me tinha enviado por email. Os jogos do poder, a ânsia do dinheiro. Aí vão bater sempre todos os conflitos, o que me leva a dizer que a humanidade parou de evoluir quando inventou o dinheiro e descobriu o poder que ele dá.
Um abraço

Observador disse...

Um vídeo esclarecedor. Visto e revisto, entendemos tudo, ou quase.
Causas e efeitos estão bem patentes.
Sempre ouvi dizer que a história nunca se repete. Veremos se assim é.

São disse...

Li e reli a caracterização da Síria e cada vez considero mais abjecta a dualidade de critérios do Ocidente, neste caso concreto entre a Síria e a Arábia Saudita ( cujo sinistro regime só é admitido por ser aliada dos EUA)

Agostinho disse...

Desconfio: a seguir é o Irão.