02 novembro, 2015

Novíssimo princípio de solubilidade

(réplica ao Xilre)

tela de Afremov
É num dia de chuva intensa que descubro que a alma é insolúvel em água
Aliás, a alma é coisa sólida e pode passear-se pela chuva sem ser molhada

8 comentários:

Uva Passa disse...

http://a-uva-passa.blogspot.pt/2015/01/e-depois-ha-umas-pessoas-que-fazem-umas_13.html

Também já o apresentei lá no meu canto.

São disse...

Gostei muito do quadro, mas mais ainda do que dizes...

Bom Novembro :)

O Puma disse...

Que chova na boca das sementes

Abraço

nando disse...

Muito lindo o quadro..e como diz o poeta : Tudo vale a pena se alma não é pequena..Abraços

Elvira Carvalho disse...

A tela é muito bonita. E a sua reflexão também.
Um abraço e uma boa semana

Lídia Borges disse...


Gosto da tela. Da alma, não sei. Não a vejo a passar.

Lídia

Fê blue bird disse...

Um tela pintada com alma e uma reflexão em que expõe a sua meu amigo.

Um beijinho

Janita disse...

A tela é linda e já a conhecia de a ver por cá. Num outro dia de chuva? Sei lá!
Será que a Alma é como os namorados que não têm fome porque se encantam de entendimento?
Passeiam-se na rua e são insolúveis à chuva e indiferentes ao vento?
O que diz o seu Contrário?
Tanta questão e afinal bastava dizer que adorei isto! :)

Um abraço.