24 janeiro, 2017

Para reflectir amanhã. Hoje é dia do tal 1º aniversário e, por sinal, bem assinalado

Assistimos hoje a festejos, bem assinalados. Foi o primeiro aniversário de um mandato presidencial e importa não estragar a festa.
Por isso, o que aqui escrevo hoje é para ser meditado amanhã.


Diz-se, em  título deste espaço, que não nos faltam palavras-adubo, palavras-semente... não nos faltam sequer ideias... o que nos falta é deixarmos de ser rendeiros da nossa própria terra. Acrescento: O que nos falta é deixar de pagar "dízimos" como antes não se pagavam, pois eram as leis menos severas do que as que hoje são ditadas por Bruxelas e agravadas pelos seus acólitos
«Quando acabares de separar todos os dízimos da tua colheita no ano terceiro, que é o ano dos dízimos, então os darás ao levita, ao estrangeiro, ao órfão e à viúva, para que comam dentro das tuas portas, e se fartem.»