25 maio, 2010

A minha conversa com Mourinho...

Foi com este sorriso irónico, que Mourinho acedeu a que lhe pendurasse ao pescoço o slogan da campanha de incentivo à compra de produtos Nacionais, o que certamente vos terá passado despercebido, na ilustração à Carta Aberta que lhe dirigi.
Ontem, altas horas, Mourinho contactou-me. Tinha aquele tom de voz que emprega nas conferências de imprensa...
-
-
-
-
Mourinho - Que ideia foi essa da carta? Podias ter-me prevenido... Agora em Madrid a imprensa vai fazer-me a vida negra...
Eu, Mouro - Vai bugiar com outro. Tu das-lhe a volta com uma pinta do caraças e eu tenho que aumentar as minhas audiências. Preciso de fazer passar as minhas mensagens...
Mourinho - À minha custa? Isso não é golpismo? Não te chega o material que diariamente tens disponível? Por exemplo acabo de ver o Prós e Contras, dar-te-á pano para mangas...
Eu, Mouro - Tu viste? Tu o maior, interessas-te pelo que cá se passa fora do mundo futebolístico? Nem acredito...
Mouirinho (com voz mais macia) - Não só acompanho, como sofro. Faço um esforço enorme para me conter... Mas ontem fiquei satisfeito... Vai ser dificil criar compromisso entre o Governo, os Patrões e os Sindicatos. Contudo será mais fácil chegarem a conclusões de consenso do que a Selecção Nacional passar a fase de grupos!
Eu, Mouro - O que é que destacarias do programa de ontem? Queres dizer?
Mourinho - Primeiro o reconhecimento de que os sindicatos devem ter uma palavra a dizer no rumo a dar à Economia. Não se pode discutir o Pacto para o Desemprego, sem criar compromisso com as políticas de desenvolvimento. Isso foi dito pelo gajo da UGT, repetido pelo Carvalho da Silva, valorizado pelo... como se chama o gajo da Concertação Económica e Social?
Eu, Mouro - Silva Peneda... Tenho destacado alguns dos desabafos dele...
Mourinho - A Ministra Helena André, também parece disposta a fazer qualquer coisa, pelo menos a ter uma atitude séria. Afirmou publicamente que na reunião de 4ª feira irá iniciar a reunião com os parceiros discutindo o diagnóstico da situação e só depois discutir o pacto para o emprego (aqui o Mourinho faz uma pausa prolongada, e retoma com a pergunta?) Rogério, conheces algum daqueles gajos?
Eu, Mouro - Conhecer, conhecer não conheço. Mas posso chegar à fala com um deles. Porquê?
Mourinho - Bom, sendo assim, vou-te mandar uns dados que ajudam ao diagnóstico. Sabendo que são da minha lavra, será mais fácil eles entenderem-se. Agora desculpa lá, mas são 3 da matina e estou com um sono do caraças...
Eu, Mouro - Só uma pergunta: Porquê o sorriso gozão quando te coloquei aquela merda ao pescoço?
Mourinho - O "Compre o que é nosso"? Deu-me vontade de rir... Como fazer campanha à compra de produtos nossos se a produção praticamente não existe e, por outro lado, não vai haver consumo interno que se veja. Xau, passa bem...
Eu, Mouro - Xau! Posso divulgar esta conversa?
Mourinho já não terá ouvido a pergunta. Corro o risco. Mais, amanhã vou publicar o diagnóstico com os dados que ele me prometeu enviar. Boa?
PS: Esta conversa só foi publicada, pela forte impressão de termos sido escutados