26 novembro, 2013

"A Terra rebentará, podemos tê-lo por seguro, mas não será para amanhã. Do que estamos a necessitar é de um bom susto. Talvez despertássemos para a acção salvadora."

José Saramago
Dias históricos são todos, uns mais que outros. O de hoje, em que não acabou o mundo, é um dia que deve ser registado como o de um salto, num processo que se supunha lento.
Até hoje, apenas o trabalho resistia, lutava e as formas de luta pareciam esgotadas. As fotos documentam alterações qualitativas: As organizações de empresários aderem ao protesto, à indignação, ao luto. Os sindicatos fazem ocupações simbólicas. As universidades embatucaram Passos.

Amanhã é outro dia, mais próximo do susto de que falava Saramago.