08 novembro, 2013

O cu e as calças, a incapacidade de estabelecer conexões e retirar conclusões... 2

Hoje foi dia de resistência e luta. É duro dispensar um salário quando ele está minguado e mesmo assim, a aderência prova que há quem vá estabelecendo relações entre o que está a acontecer e o passado. Não só do passado recente, pois o que estamos vivendo resulta de um processo sinuoso, persistente, no qual se incluem factos datados:

Da contrarrevolução ao resgate...

Que haja a capacidade de perceber que o que hoje é notícia resulta do muito que foi acontecendo ao longo do tempo, não acontece de repente o empobrecimento (nem por acaso):
"...o número de multimilionários em Portugal, ou seja com fortunas superiores a 25 milhões de euros, aumentou 10,8% para 870 pessoas no último ano. São mais 85 ‘afortunados’ do que os 785 registados em 2012."

9 comentários:

Graça Sampaio disse...

Como teria sido se tivéssemos ficado pela pré-"contra revolução"?... Cuba? Venezuela? Coreia do Norte? ... Sei lá - como diz a outra idiota.

Maria Eu disse...

Muitos esquecem os que lutaram e lutam pelos diretos que adquirimos. Outros tendem a ver as greves como um prejuízo pessoal sem olharem ao bem colectivo. As greves fazem-se por nós e pelos outros! E, se não prejudicassem ninguém, valiam para quê?

Beijinhos Marianos! :)

quem és, que fazes aqui? disse...


Rogério, apetece-me GRITAR!

Beijo

Laura

jrd disse...

Entre o cu e as calças estão as cuecas e assimque o pais está, em cuecas...

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

E o povo fofinho continua a aguentar tudo com grande estoicismo e coragem ( dizem eles)

O Puma disse...

A coisa está a melhorar

Branca disse...

Pudera, enquanto uns são explorados, outros enriquecem...é a lógica economicista, o agudizar dos fossos sociais, isto já não é de hoje, mas repete-se, porque ninguém repara antes de lhe chegar o fogo a casa. As tuas imagens são bem elucidativas, claro que estamos a recuar desde 1976, paulatinamente e subtilmente como eles sabem, mas só não viu quem era cego. Beijos.

Anónimo disse...

Pudera, enquanto uns são explorados, outros enriquecem...é a lógica economicista, o agudizar dos fossos sociais, isto já não é de hoje, mas repete-se, porque ninguém repara antes de lhe chegar o fogo a casa. As tuas imagens são bem elucidativas, claro que estamos a recuar desde 1976, paulatinamente e subtilmente como eles sabem, mas só não viu quem era cego. Beijos. Branca

Lídia Borges disse...


"Quantos pobres são necessários para fazer um rico?"

Lídia