13 julho, 2014

Geração sentada, conversando na esplanada - 68 ("Brutal, brutal, brutal" disse o merceeiro, sem se referir à faixa de Gaza))

(ler conversa anterior)
"Brutal, brutal, brutal"
Alexandre Soares dos Santos, hoje, sobre o BES

«Só queria ser mosca, ter estado lá, e ouvir o que eles diziam!» Ninguém, na esplanada, lhe ligou.
Lá, no nosso canto, era o BES o assunto, depois de terem sido muitos outros. Questionava-me o senhor engenheiro, afagando o seu rafeiro:
- «O "merceeiro" está preocupado. Terá razão para estar?"
Encolhi os ombros, mas lá fui dizendo, - «Afirma-se que o BES está defendido com dois mil milhões, mas a dívida da holding é sete mil milhões... alguém vai estar a arder com a diferença!»
- «O merceeiro?»
- «Não, o povo inteiro!»

3 comentários:

Rosa dos Ventos disse...

Vai sobrar para todos nós, sobra sempre! :(

Lídia Borges disse...


Nem sei o que dizer!
O mundo enlouqueceu: metade arde e a outra metade afoga-se.

A "brutalidade" dos poderosos!


Bj...

ana disse...

Rogério,
Esperemos que não seja o "povo inteiro"... :((

Estou farta desta hegemonia dos banqueiros. Oligarquias disfarçadas em democracias...

Boa noite. :))