27 julho, 2014

Geração sentada, conversando na esplanada - 70 (Passos Coelho também está a "governar com maioria absoluta")

(ler conversa anterior) 
«O PS pretende governar com maioria absoluta porque é necessário estabilidade para fazer a mudança que é necessária em Portugal» - António Costa, ontem

«A frase do candidato socialista deixa transparecer que está por quase tudo no que toca a entendimentos pós--eleitorais - excetuando com "este" PSD (mas se for com "outro" PSD isso já não será assim, conforme o próprio aliás já admitiu).» - Editorial do DN, hoje 

"Olá!", dissemos quase em uníssono e  com um parecido sorriso. Temos rostos muito diferentes e, por isso, o sorriso apenas é parecido no sentimento sentido. Sorriso aberto, franco, sério. Isso, um sorriso sério. O velho engenheiro, percebi, vinha com uma "agenda" carregada pois desatou, sem se conter, a fazer uma churrada de questões a que não soube responder. Até que resolveu entrar por outra toada: a de fazer afirmações à espera das minhas confirmações.
- "Cá para mim, é significativo que ele se tenha furtado a falar da dívida, que não deixou de aumentar!"
- "Bom, ao certo não sabemos se falou ou não..."
- "Cá para mim, é significativo que ele se tenha furtado em falar da renegociação da dívida, os juros estão a comer o pouco que temos vindo a crescer!"
- "Bom, ao certo não sabemos se falou ou não..."
- "Cá para mim, é significativo que ele se tenha furtado a falar do que o Presidente Sampaio disse, antes da Convenção!"
Nesta altura, parei e não pude deixar de interrogar: "Sampaio, disse? O que é que Sampaio disse?"
- "Bom, de certo António Costa disso não falou, logo se saberia!"
Ele ficou a comentar o que a imprensa diz e pensa. Entretanto, o rafeiro, talvez intimidado pelo acto ousado que tivera, na última "conversa", em saltar para cima mesa, desta vez esgueirou-se para debaixo dela. Pachorrento, ia acompanhando o diálogo com uma atenção quase humana. É por isso que eu gosto de cães...