20 fevereiro, 2016

O Governador do (Banco de) Portugal e as boas e fortes razões para se pôr a andar


Já tinha o Pedro debaixo de olho. Primeiro por ser Guerreiro (coisa que também sou por postura e por apelido). Segundo porque, embora não faça parte da minha arte (a financeira), lhe admiro a persistência pedagógica em como desnuda e explica o funcionamento do "capitalismo mau". Pedro Guerreiro (que me parece acreditar haver um capitalismo bom) nesta sua explicação, em breve minutos, explica duas coisas:
- como é que, sem pós de pir-lim-pim-pim, 40 mil milhões foram à vida
- como é que, com um Banco de Portugal responsável pela solidez do sistema bancário,ele está feito num caco
Agora é só lá ir, ver e ouvir, e depois pensar se o tal governador não se deveria pôr a andar.