18 maio, 2018

A lágrima de Bas Dost

A lágrima de Bas Dost

Era assim o placard do DN às sete da tarde,
muitas horas depois da lágrima de Bas Dost
Tudo continua excessivo,
depois da lágrima de Bas Dost
Tudo já era excessivo
antes da lágrima de Bas Dost

A própria lágrima de Bas Dost
é excessiva para a dor do golpe
a menos que chore
por tudo ser tão excessivo

Talvez Bas Dost chore só por isso

Perguntei a um palestino
o porquê da lágrima
respondeu não lhe parecer
igual à sua,
de dor e raiva

Não parece que a lágrima de Bas Dost
Seja de dor e raiva
Seria excessivo se o fosse
Rogério Pereira



9 comentários:

ematejoca disse...

Em todas as lágrimas há sempre um homem chorão ou pensas que não?

Quem mandou ao Bas Dost deixar a Alemanha???

Vai uma lágrima minha, camarada Rogério? 😅

Maria João Brito de Sousa disse...

"Água, quase tudo, e cloreto de sódio"... no entanto, também não penso que a lágrima de um se pareça minimamente com a do outro.

Gostei do teu poema, Rogério. Abraço-te.

Larissa Santos disse...

Agora não dá outra coisa. Até à queda do BcC .. Está a demorar tempo de mais, :))

Hoje:- Onde há vontade há um caminho.

Bjos
Votos de uma óptima Noite

Rogerio G. V. Pereira disse...

"Procuro com a mão o despertador que está a tocar há mais de meio minuto. Encontro-o entre um livro e o copo de água que me colocam todas as noites sobre a mesinha de cabeceira. Carrego num botão e o silêncio volta a entrar no meu quarto. Sei que já não posso readormecer. O meu despertador toca invariavelmente às oito da manhã, todos os dias, faça sol ou faça chuva.
É uma das invariáveis da minha vida, tão invariável como o amor da Fernanda, como os jantares de família nos dias santos, como o som do piano da vizinha aos Domingos.
Não há nada a fazer. Atiro com a roupa ao chão e procuro, com o pé, o chinelo que deve estar algures ao lado da cama."
«Um homem não chora»
Luís de Sttau Monteiro

(Acho que se o Bas Dost esteve na Alemanha
foi a caminho de qualquer outro lado )

Rogerio G. V. Pereira disse...

Do ponto de vista químico
todas as lágrimas são iguais
Mas no que dói mesmo
umas são menos, outras mais

Rogerio G. V. Pereira disse...


Quase sempre
é mais rápida a ascensão
que o trambolhão

Maria João Brito de Sousa disse...

Sim. Nem mesmo as que involuntariamente me têm rolado na sequência dos mais ínfimos movimentos - ter uma vértebra fracturada dá nisto... - têm a mesma justa intensidade das de um palestino.

Elvira Carvalho disse...

Gostei do poema.É com tristeza que reconheço que para a nossa comunicação social a lágrima do Bas Dost, é muito mais importante do que as lágrimas de todos os palestinianos juntos. Aliás pelo destaque que lhe dão, deve ser a maior tragédia que atingiu o pais, nos últimos anos.
Atenção que com esta critica, não quero dizer que estou de acordo com aquele ato de vandalismo. Mas como diz um amigo que o Rogério conhece bem. " O futebol é tão só e apenas a coisa menos importante de entre as coisas importantes que vão acontecendo"
Abraço e bom fim-de-semana

Gil António disse...

Depois de me deliciar com mais uma sedutora publicação/poema deliciosa/o, deixo votos de um feliz fim de semana.
.
* Amor feito de pura verdade *