02 outubro, 2012

A Dª Esmeralda e a vizinha do 4º andar, a conversar - (12)

As vizinhas lá se vão entendendo, mas às vezes levam tempo...

Vizinha do 4º andar (com ar muito convencido) - Tudo começou com o derrube do anterior governo...
Dª Esmeralda (com uma admiração estudada) - Como, assim?
Vizinha do 4º andar (como se tivesse ódio na voz) - Se os comunas não tivessem votado contra o PEC...
Dª Esmeralda (com voz calma) - Mas acha que alguma esquerda iria votar o que o plano previa para as privatizações ( e alongou-se em pormenorizadas explicações...)
Vizinha do 4º andar (sem sequer pensar) - Isso não sei. Só sei o que depois aconteceu
Dª Esmeralda (ainda com calma) - E acha que alguma esquerda iria deixar passar aumentos malucos do IVA (e alongou-se em explicações sobre os efeitos disso)
Vizinha do 4º andar (com voz mais macia, hesitando com o que ouvia) - Isso não sei. Só sei que agora é pior...
Dª Esmeralda (já impacientada) - E que esquerda iria apoiar mais encerramentos de escolas e aceitar a desertificação do país? (e descreveu tim tim por tim tim, o que o PEC dizia) e os cortes nas pensões? ( foi aí, bem violenta)
Vizinha do 4º andar (quase convencida) - Bem, talvez, não sei... Só sei que agora é pior
Dª Esmeralda (pronta a encerrar o assunto) - Se o PCP apoiasse aquela treta, também ele meteria a sua coerência na gaveta! Quem lhe garante se lá permanecesse aquela gente que hoje estaríamos a passar por situação diferente?...
Vizinha do 4º andar (vencida mas não convencida) - E chama a esta coisa das duas moções uma verdadeira unidade?...

Rogérito (que estava "à tabela" interrompe, lá da sua janela) - Não, não é! Mas se votarem ambas, qual é a diferença?