21 outubro, 2012

Homilias dominicais (citando Saramago) - 104 [ FIM]


Com Saramago de frente para o mar, e depois de dois anos a escrever esta página, dou por findo o meu apostolado. Não por ter esgotado as palavras, ou por ter optado por outros caminhos ou por ter preferido dar voz a outras homilias e a outros nomes. Diz-se, tantas vezes, para fazer perdurar as coisas, que é preciso que algo mude para que tudo fique na mesma. É isso, Saramago abandona este espaço dominical, mas permanecerá sempre, na minha escrita, nos meus temas. 
Quem lê Saramago fica com a sua escrita na alma, quem escreve sobre ele fica-lhe na pele... Aconteceu-me

Como última homilia poderia ter escolhido mil outros assuntos, inquietações, desassossegando com coisas do amor ou da morte, mas a escolha recai sobre a Europa, sem que sejam necessárias grandes justificações para a escolha, pois ela nos pesa. Talvez este espaço venha a ser ocupado com o tema Europa e esta homilia final seja a introdução desse outro tema e do retomar do desafio que fiz um dia. Vou pensar. Vou pensar em virar-me definitivamente para o mar...

HOMILIA FINAL
(...) A verdade é que a Comunidade Económica, como a que nasceu na cabeça de Robert Schumann, não é mais do que a ideia de racionalizar as economias dos diferentes países da Europa. A questão central foi sempre a da economia. Ou seja: quem é o senhor, quem é o patrão da Europa. Todos os conflitos, todas as situações complexas que a Europa viveu, até mesmo as chamadas guerras religiosas, tiveram por motivo definir uma economia para cem anos, ou um milénio, como desejou Hitler. 
(...) O mais importante – e eu diria, o mais trágico – é que se tira dos povos o direito de decidirem sobre o seu destino. Claro que nada no mundo é definitivo, e os povos sempre encontram as soluções melhores para os seus problemas. Mas o problema da hegemonia, que parecia resolvido com a Comunidade, não está. O que está ocorrendo agora é o surgimento da potência europeia do futuro, que será outra vez a Alemanha. A Europa será o que Alemanha decidir. 
______________

Já depois de editar esta post, tomei conhecimento e assinei esta petição

13 comentários:

folha seca disse...

Caro Rogério
Sem qualquer duvida que prestou um serviço inestimável à divulgação da obra, das ideias e da visão de Saramago.
Li parte da obra de Saramago ao longo de décadas. Estive com ele algumas vezes, mas foi graças a si, ao seu trabalho incesante de pesquisa que hoje conheço muito mais deste "visionário". Certamente que apesar de fechar a rubrica ele vai por aqui continuar a andar.
Um obrigado
Rodrigo

Lídia Borges disse...


Embora até possa perceber a decisão de substituir as homilias dominicais nos moldes em que as idealizou, há tanto tempo, não posso deixar de sentir já a nostalgia própria de quem se habituou a encontrar aqui, semanalmente, o escritor e o homem de quem não posso ficar longe por muito tempo. Vai obrigar-me a procurá-lo nos seus livros, outra vez.

Um beijo

Maria João Brito de Sousa disse...

Também anda comigo há uns anos...

Abraço!

jrd disse...

Saramago continua, aqui, acolá e por toda a parte.
E continuará, mesmo "quando todos formos alemaes"...

Fada do bosque disse...

Olá Rogério, Depois de ter lido o seus dois últimos posts e de achar que estão os três de Parabéns pelo trabalho aqui exposto, Sinceramente ainda não consegui entender o que quis dizer em "Meu Contrário errou" e em "Eu foi um desastre"!! Quer ver que sou muito limitada?!

Não o gabo ou elogio frequentemente, não é uma característica minha, infelizmente, mas que tenho orgulho em estar aqui, é uma verdade! Aqui sinto-me bem. Com o Rogério sinto-me em casa.

Saiamos juntos à descoberta de Novos horizontes sem fim. Façamos juntos uma grande viagem aos CPLP e ajude-me com a sua sabedoria, seja meu guia nesta descoberta de novos mundos, por mares nunca antes navegados, nunca antes compreendidos e faça-me sentir nostalgia de um País, que teima em desaparecer do mapa. Voltemos finalmente, nem que seja numa jangada de pedra.

Um beijo.

BRANCAMAR disse...

Obrigada Rogério por ter enviado.
Assinadíssima, a petição.


Beijinhos

ematejoca disse...

Lamento esta sua decisão, Rogério!

MARILENE disse...

Do mar se conhece a paz e a bravura, sendo-nos fácil com ele lidar. Dos homens que detêm o poder, tudo se pode esperar, menos o que um dia ousamos lhes confiar. Abraços

quem és, que fazes aqui? disse...


Há momentos para um início e para um final.
Se o que acabou foi ótimo, sei que o que aí virá melhor será.

Beijo

Laura

Mar Arável disse...

Tive ocasião e prazer de te dizer em público

o teu trabalho delicado e dedicado
que prestaste
um serviço público
com o nosso Saramago em riste

Cá estaremos
Abraço amigo

Ana Tapadas disse...

Concordo plenamente com a Folha Seca!


Beijo

JP disse...

Fiquei às escuras com este blog. Desapareceu e, como não via nada, julguei que estivesse de férias. Só agora me decidi vir mesmo ao blog e afinal vim assistir a uma despedida. Pois bem, penso que o que nos tem preparado não será inferior.

Abraço

OceanoAzul.Sonhos disse...

Saramago continuará em ti, em nós, em tudo, sempre!

beijinho Amigo
cvb