01 outubro, 2012

Geração sentada, conversando na esplanada - 14 (manifestação pela paz... dos cemitérios)

(Ler conversa anterior) 
«Não nos ouvirão gritar abaixo o governo» - João Proença, Sec. Geral da UGT, hoje 
«Não se deve alimentar a ilusão da união da esquerda» - Alegre, hoje, também
... "há é ,mais que nunca, necessidade de um pouco de paz"
pelo ar da bela ave todos, então, percebemos tratar-se de uma pomba....

Não que tivesse ciúmes mas não deixei de me sentir relegado para um plano menor perceber que todas dispensaram largos sorrisos ao senhor engenheiro e que abundaram festas ao seu cão rafeiro. Desde o último dia em que ele mostrou o tal video acho que ficou a faltar muito pouco para o velho engenheiro integrar o convívio. Conhecerem o que se passara na Islândia deu outros temas ao grupo e não se cansavam de falar das duas manifestações, de quem lá foi e deixou de ir, da dimensão, dos cartazes e dos cantares, das palavras de ordem...  e do anúncio de uma greve geral  Apanhei-lhes palavras soltas, distraído e compungido a olhar o melro e o pombo atrevido:
- O video já é antigo, quem vos assegura que eles agora estão bem?
- O silêncio!
- O silêncio, nunca disse nada!
- Neste caso diz que não querem que se saiba!
...
- A greve, para que é que isso serve? Nem pode ser geral, a UGT nem sequer foi ouvida...
- O Proença está noutra onda, na onda do mal estar, naquela de não querer ser nem grego nem troiano, e de querer ficar de bem com uns e outros, o que acabará, mais tarde ou mais cedo por não agradar a mais ninguém que não sejam aos mesmos de sempre...
...
A dada altura vejo o que todos julgavam ser um pombo a olhar intrigado para a Rita. E pelo ar da bela ave todos, então percebemos tratar-se de uma pomba:
- Há é mais que nunca, necessidade de um pouco de paz!
- Boa ideia! Que tal a UGT convocar uma manifestação? Aceitam-se palavras de ordem:
- "Deixem trabalhar a troika!"
- "Sem paz, não há um buraco capaz!"
- "Não, à crise politica. Sim, à crise económica!"
- "Barroso amigo, este é o povo que está contigo!"
- "Viva o arco do poder. Queremos o buraco, já!"

E por ali ficariam  com a fértil imaginação a debitar frases sem fim se não fosse o senhor engenheiro repetir o gesto anterior feito. Pegou no iPad da Gaby e mostrou outro video ao grupo:

 

18 comentários:

Anónimo disse...

Nunca percebi o papel de João Proença.
Parece-me um divisionista manhoso que com aquele ar asqueroso e falso procura convencer.
Mas quem quererá convencer Proença enquanto se vai colando ao patronato e ao governo ainda que, aqui, dê uma no cravo outra na ferradura?
Só falta mesmo Proença vir para a rua com essas palavras de ordem.

São disse...

Se alguma vez eu conseguir entender quem é João Proença, façam-me e justiça de me propor para o Nobel (nem que tenham que inventar de que área)!!!

Tudo de bom

Rosa dos Ventos disse...

Mas será uma coisa assim tão utópica juntar as duas centrais sindicais num contexto de urgência como este?
Pergunto eu que talvez seja ingénua...

Abraço

JP disse...

Já uma vez escrevi que era contra as marchas folclóricas. Era a favor destas manifestações contra a tirania de uns quantos. Com sentimentos e sem pastores a comandar, pois o rebanho sabe o caminho!!!

Mas greve Geral? Agora? pelo amor de Deus. Não haverá maneira de enxotar a incompetência de outra forma? Uma gerve geral, agora, seria um fiasco. Não tenho dúvidas. As pessoas não têm condições de prescindir de parte dos salários tão parcos já!

Há de certeza outras formas de luta. Olhem para a Espanha, para a França, para a Itália e todos juntos haveremos de conseguir que esses senhores de fato, gravata e pastinha de mão, que viajam pela Europa fora à custa dos erários públicos, percam de uma vez por todas as regalias que têm.

Abraço

manuela baptista disse...

na esplanada,

ao pombo ou pomba, espera-se que reaja segundo a sua própria natureza

aos líderes
aos políticos
aos governantes

espera-se que apanhem com a caca do dito e inventem uma outra linguagem, modelo, país, continente, mundo

tanto me faz, desde que seja novo


eu também desejava reencontrar a linguagem solidária dos Lomamis

um abraço, Rogério

quem és, que fazes aqui? disse...

Estou como o João Proença e a Sâo. Provocam-me náuseas estas pessoas que, cambaleantes, vão gerindo o dia a dia.

Acho que este meu estado nauseado passou a crónico.

Beijo

Laura

Graça Sampaio disse...

Ó Rigerito, pronto(s)! O João Proença não mostra ter coluna vertebral que é uma coisa que me aborrece nas pessoas.

Mas o Arménio Carlos também não deve "embandeirar em arco" com a manif de sábado porque muito do pessoal que la esteve não o fez pela CGTP, mas porque estão/estamos todos com este governo e estas (des)medidas troikianas até aos cabelos. E também agora uma greve, mesmo sendo geral e com a UGT, serve a quem? O pessoal não tem dinheiro para deixar de receber um dia de trabalho e, por outro lado, os fulanos do governo estão-se borrifando para as greves.

Lídia Borges disse...


O PS tem de se resolver, que isto de ser de esquerda, às segundas, quartas e sábados e de direita nos outros dias da semana, não é coisa que se entenda.

Lídia

voz a 0 db disse...

Olá...

Um dos principais problemas dos ESCRAVOS é não se saberem UNIR nem LUTAR pelo que acham JUSTO! Nem que essa UNIÃO e essa LUTA demore TEMPO... Nunca será TEMPO perdido...

Não são manifestações isoladas que vão alterar o rumo deste país, nem tão pouco fazer cair os DONOS DE PORTUGAL

Abraços

Fê-blue bird disse...

É hora de união e todos deviam dar o exemplo e não andarem nestas quezílias.
Fazer coisas extraordinárias? Podemos e devemos fazê-las!

beijinhos

Octopus disse...

A UGT foi criada para dividir os trabalhadores, é um anti-sindical. Não que a CGTP seja uma "forma" de luta em si, mas tem a vantagem de defender realmente as pessoas pela qual lutam: os trabalhadores.

A UGT faz parte do sistema, foi criada por ele, nunca será solução, será sempre parte do problema.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Extraordinário, é mesmo o PCP e o BE apresentarem uma moção de censura contra o PS!

Isa GT disse...

... e o Orçamento já foi aprovado em Bruxelas...
...e fico sem saber o que dizer... esta anormalidade de decidirem lá longe o nosso destino... é tramado... e hoje não estou em paz... estou com uma neura que vai daqui até... Bruxelas...

Bjos

O Puma disse...


... não foi o PS o primeiro a ameaçar com uma moção de censura?

ou foi só gargarejo?

Seguro está preparado para liderar o PS?

as-nunes disse...

Caros amigos

O que se passa, e este é um dilema de sempre, é que a Constituição da República Portuguesa permite que se esbanjem os fundos públicos, não só para fazer campanha eleitoral a favor do/s partido/s do Governo mas também a favor de interesses individuais de pessoas/grupos colocados na área do poder (através do voto popular ????!).
É aqui que reside o cerne dos problemas Orçamentais e da Dívida Pública.

A solução só poderá passar pela revisão da Constituição.
Como?
1- Democraticamente, nunca mais lá chegamos;
2- Uma nova Revolução?

(...)

Entretanto, que fazer?
- Moções de censura no Parlamento?
- Manifestações de rua?
-
- ...

(...)



Cristal de uma mulher disse...

Bom dia

Visitando meu amigos senti vontade de te conhecer e encontrei muitos motivos para escrever a ti..

Sabe, do sistema nada se pode encontrar de concreto!

Um grande abraço

jrd disse...

Não se podem alimentar ilusões, mas deve-se lutar por certezas.

Fada do bosque disse...

Bem... o Voz entra sempre a matar... quase consegue ser pior do que eu.

Quanto ao vídeo... não sei não... metendo fado e futebol, lá se vai a estima...(esqueceram-se de Fátima?!) :)

Quanto às manifestações, era muito melhor que o povo começasse a mexer mais o traseiro e quanto a greves, o País há muito que devia ter já parado e quem está com medo de ver o seu salário reduzido, que pense naqueles, que não são poucos, que não ganham nenhum.

Pela via democrática as coisas não vão lá.

O JRD tem toda a razão.