04 maio, 2011

A Dª Esmeralda e a vizinha do 4º andar, a conversar (3)

As vizinhas do prédio do Rogérito comentam o futuro,
uma delas pensa que este vai ser menos duro...

Vizinha do 4º andar – Ai que o nosso Primeiro Ministro falou tão bem. Foi um elevo... Ainda por cima o povo estava com medo. Medo da bancarrota, das prateleiras vazias, da falta de dinheiro para ordenados... e depois ele é mesmo... sei lá... charmoso.
Dª Esmeralda – Mas ainda ontem me dizia que o Passos Coelho é que tem tão bom parecer. Que era tão elegante, educado e bem-apessoado. Agora passou-se para o outro lado?
Vizinha do 4º andar – Bom, eu achava isso e ainda o acho um "borracho". Mas é um novato e isto de governar tem que se lhe diga e não se pode ir atrás de quaquer cantiga. Não vê que os senhores que vieram ajudar não deixam mexer no nosso salário, nem no minimo nacional, nem nos subsidios de férias nem no de Natal...?!
Dª Esmeralda – Não mexe no que recebe mexem no que vai pagar! Há muita maneira de fazer parecer que a coisa não vai doer. Vai ter aumento nos impostos, na renda, na luz, no autocarro, na comida e no cigarro... Ah, e o seu filho, o desempregado, vai ter um subsidio rapado e a acabar daqui a nada...
Rogérito (gritando do 3º andar) – É! É! Dª Esmeralda, deixe lá a cassete, a vizinha está enfeitiçada!
Som da televisão (saindo do rés-do-chão) - "O presidente da Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade (CNIS) disse hoje que o discurso do primeiro-ministro sobre as medidas constantes no memorando de entendimento entre o Governo e a 'troika' foi o regresso ao "país das maravilhas".